Precisando de conteúdo para complementar seus estudos?
Conheça os Kits de Estudo Biomedicina Padrão: biomedicinapadrao.com.br/kits

Bactéria encontrada na água de esgoto pode revolucionar a medicina moderna

terça-feira, novembro 01, 2011 0 Comentários


Precisando de conteúdo para complementar seus estudos?
Conheça os Kits de Estudo Biomedicina Padrão: biomedicinapadrao.com.br/kits

Basicamente, a bactéria equivale a um vampiro, gastando seu tempo caçando outras bactérias e sugando todos seus nutrientes. Isso poderia modificar radicalmente o uso de antibióticos e parar o surgimento de “superbactérias”.


A bactéria Micavibrio aeruginosavorus (amarelo), ligada e se alimentando de uma Pseudomonas aeruginosa(roxo), rodeada por P. aeruginosa mortas (cinza).

A bactéria em questão é chamada de Micavibrio aeruginosavorus. Os cientistas sabem da sua existência há mais de 30 anos, mas foi provado que ela é extremamente difícil de se estudar usando técnicas tradicionais. Pesquisadores da Universidade da Virginia acabaram de decodificar seu genoma e entenderam como ela funciona, e os achados são intrigantes.

A Micavibrio aeruginosavorus sobrevive procurando outras espécies de bactérias. Então, por si só, liga-se na parede celular e começa a sugar os nutrientes da vítima. Isso não é comum para uma bactéria, já que a maioria  simplesmente colhe seus nutrientes do meio ambiente. Qualquer que seja a razão, isso não é uma opção para essa bactéria, que depende de encontar e destruir outras bactérias para sobreviver. Você pode vê-la em ação na foto acima – bactéria amarela  se alimentando da Pseudomonas aeruginosa, em roxo.

Uma de suas vítimas preferidas é uma inimiga do ser humano, a Pseudomonas aeruginosa, que causa sérias infecções pulmonares em pacientes com fibrose cística. Ainda é cedo, mas os pesquisadores dizem que seria possível usar a Micavibrio aeruginosavorus contra esse patógeno mortal, injetando-a próximo à infecção e permitindo-a caçar e destruir a bactéria infecciosa.

Foi provado que a bactéria pode se tornar uma atraente alternativa aos antibióticos comuns, já que aparentemente não seria possível causar resistência às bactérias, como acontece hoje em dia.

Claro que a bactéria não está pronta para ser introduzida no corpo humano. Será necessária significante engenharia genética para deixá-la no ponto de poder caçar as bactérias desejadas e não atacar as outras. Mas esse é um enorme avanço, e o fato de se ter seu genoma mapeado é um encorajante começo.

Via BMC Genomics. Image via the University of Virginia.

VOTE BIOMEDICINA

Brunno Câmara Biomédico

Biomédico, CRBM-GO 5596. Especialista em Hematologia e Hemoterapia pelo programa de Residência Multiprofissional do Hospital das Clínicas - UFG (HC-UFG). Criador e administrador do blog Biomedicina Padrão. Criador e integrante do podcast Biomedcast (biomedcast.com).