Precisando de conteúdo para complementar seus estudos?
Conheça os Kits de Estudo Biomedicina Padrão: biomedicinapadrao.com.br/kits

As grandes epidemias ao longo da história

segunda-feira, março 26, 2012 0 Comentários


Precisando de conteúdo para complementar seus estudos?
Conheça os Kits de Estudo Biomedicina Padrão: biomedicinapadrao.com.br/kits

PESTE NEGRA

História – A peste bubônica ganhou o nome de peste negra por causa da pior epidemia que atingiu a Europa, no século 14. Ela foi sendo combatida à medida que se melhorou a higiene e o saneamento das cidades, diminuindo a população de ratos urbanos.
Contaminação – Causada pela bactéria Yersinia pestis, comum em roedores como o rato. É transmitida para o homem pela pulga desses animais contaminados.
Sintomas – Inflamação dos gânglios linfáticos, seguida de tremedeiras, dores localizadas, apatia, vertigem e febre alta.
Tratamento – À base de antibióticos. Sem tratamento, mata em 60% dos casos.

50 milhões de mortos (Europa e Ásia) - 1333 a 1351

CÓLERA

História – Conhecida desde a Antigüidade, teve sua primeira epidemia global em 1817. Desde então, o vibrião colérico (Vibrio cholerae) sofreu diversas mutações, causando novos ciclos epidêmicos de tempos em tempos.
Contaminação – Por meio de água ou alimentos contaminados.
Sintomas – A bactéria se multiplica no intestino e elimina uma toxina que provoca diarréia intensa.
Tratamento – À base de antibióticos. A vacina disponível é de baixa eficácia (50% de imunização)

Centenas de milhares de mortos - 1817 a 1824

 

TUBERCULOSE

Koch and tuberculosis, 19th century

História – Sinais da doença foram encontrados em esqueletos de 7.000 anos atrás. O combate foi acelerado em 1882, depois da identificação do bacilo de Koch, causador da tuberculose. Nas últimas décadas, ressurgiu com força nos países pobres, incluindo o Brasil, e como doença oportunista nos pacientes de AIDS.
Contaminação – Altamente contagiosa, transmite-se de pessoa para pessoa, através das vias respiratórias.
Sintomas – Ataca principalmente os pulmões.
Tratamento – À base de antibióticos, o paciente é curado em até seis meses

1 bilhão de mortos - 1850 a 1950

 

VARÍOLA

Smallpox vaccination in 19th Century

História – A doença atormentou a humanidade por mais de 3.000 anos. Até figurões como o faraó egípcio Ramsés II, a rainha Maria II da Inglaterra e o rei Luís XV da França tiveram a temida “bixiga”. A vacina foi descoberta em 1796.
Contaminação – O Orthopoxvírus variolae era transmitido de pessoa para pessoa, geralmente por meio das vias respiratórias.
Sintomas – Febre, seguida de erupções na garganta, na boca e no rosto. Posteriormente, pústulas que podiam deixar cicatrizes no corpo.
Tratamento – Erradicada do planeta desde 1980, após campanha de vacinação em massa

300 milhões de mortos - 1896 a 1980

 

GRIPE ESPANHOLA

História – O vírus Influenza é um dos maiores carrascos da humanidade. A mais grave epidemia foi batizada de gripe espanhola, embora tenha feito vítimas no mundo todo. No Brasil, matou o presidente Rodrigues Alves.
Contaminação – Propaga-se pelo ar, por meio de gotículas de saliva e espirros.
Sintomas – Fortes dores de cabeça e no corpo, calafrios e inchaço dos pulmões.
Tratamento – O vírus está em permanente mutação, por isso o homem nunca está imune. As vacinas antigripais previnem a contaminação com formas já conhecidas do vírus.

20 milhões de mortos - 1918 a 1919

 

TIFO

Typhus ward

História – A doença é causada pelas bactérias do gênero Rickettsia. Como a miséria apresenta as condições ideais para a proliferação, o tifo está ligado a países do Terceiro Mundo, campos de refugiados e concentração, ou guerras.
Contaminação – O tifo exantemático (ou epidêmico) aparece quando a pessoa coça a picada da pulga e mistura as fezes contaminadas do inseto na própria corrente sangüínea. O tifo murino (ou endêmico) é transmitido pela pulga do rato.
Sintomas – Dor de cabeça e nas articulações, febre alta, delírios e erupções cutâneas hemorrágicas.
Tratamento – À base de antibióticos.

3 milhões de mortos (Europa Oriental e Rússia) - 1918 a 1922

Fonte: Organização Mundial de Saúde (OMS) e Fundação Oswaldo Cruz

Brunno Câmara Biomédico

Biomédico, CRBM-GO 5596. Especialista em Hematologia e Hemoterapia pelo programa de Residência Multiprofissional do Hospital das Clínicas - UFG (HC-UFG). Criador e administrador do blog Biomedicina Padrão. Criador e integrante do podcast Biomedcast (biomedcast.com).