Precisando de conteúdo para complementar seus estudos?
Conheça os Kits de Estudo Biomedicina Padrão: biomedicinapadrao.com.br/kits

Como não confundir um monócito com um linfócito?

terça-feira, setembro 24, 2013 0 Comentários


Precisando de conteúdo para complementar seus estudos?
Conheça os Kits de Estudo Biomedicina Padrão: biomedicinapadrao.com.br/kits

Quem nunca confundiu um monócito com um linfócito que atire a primeira pedra. Às vezes pode parecer até estranha tal comparação, pois as duas células quando estão normais, são bem diferentes. O que acontece é que nem sempre elas vão aparecer iguais às figuras que você viu nos livros e atlas.

Então aqui vão algumas dicas para você identificar essas duas células e diferenciá-las mais facilmente.

Linfócito

Os linfócitos são células pequenas, mas podem ser observadas em formas maiores. É aí que entra a confusão. No linfócito pequeno (típico) o citoplasma é escasso, formando uma faixa estreita ao redor do núcleo. Nos linfócitos grandes o citoplasma é abundante.


Célula típica: núcleo redondo e citoplasma escasso.

 
Linfócito grande: núcleo de forma irregular e citoplasma abundante.

Monócito

Os monócitos são os maiores leucócitos circulantes e têm citoplasma abundante. Umas das principais características deles é a presença de vacúolos citoplasmáticos, que geralmente não são visíveis nos linfócitos. Seu núcleo tem a forma de um rim, mas na maioria das vezes, apresenta formas variadas e irregulares.


Monócito típico. Núcleo em forma de rim.


Núcleo irregular apresentando cromatina delicada. Citoplasma abundante com alguns vacúolos.


Núcleo irregular apresentando vacúolos. Citoplasma moderado, azul claro bem vacuolizado.

Veja algumas conparações:

Brunno Câmara Biomédico

Biomédico, CRBM-GO 5596. Especialista em Hematologia e Hemoterapia pelo programa de Residência Multiprofissional do Hospital das Clínicas - UFG (HC-UFG). Criador e administrador do blog Biomedicina Padrão. Criador e integrante do podcast Biomedcast (biomedcast.com).