Precisando de conteúdo para complementar seus estudos?
Conheça os Kits de Estudo Biomedicina Padrão: biomedicinapadrao.com.br/kits

Como diferenciar uma hifa de uma pseudo-hifa

quarta-feira, junho 29, 2016 0 Comentários


Precisando de conteúdo para complementar seus estudos?
Conheça os Kits de Estudo Biomedicina Padrão: biomedicinapadrao.com.br/kits

Hifa x Pseudo-hifa

Alguns fungos podem ter vários tipos de esporos assexuais morfologicamente diferentes. Assim, o talo de alguns fungos pode reversivelmente mudar de levedura, para pseudo-hifas e para hifas sob condições ambientais específicas.

Essas formas são independentes umas das outras e apresentam características específicas de desenvolvimento.

Hifa

As hifas são estruturas tubulares. O citoplasma é cercado por uma parede rígida que separa o fungo, fisicamente e funcionalmente, do meio externo.

Na maioria dos casos, a hifa é divida em compartimentos. A parede que a divide é chamado septo. O septo é incompleto nos estágios iniciais da vida de uma hifa.

Hifa verdadeira

O alongamento da hifa acontece no ápice. A região da ponta se estende enquanto o citoesqueleto distribui vesículas contendo materiais e enzimas para a dissolução da velha e construção da nova parede no ápice.

Pseudo-hifa

De acordo com o dicionário, o prefixo pseudo- significa: de teor falso; cujo conteúdo não corresponde à realidade. Sendo assim, uma pseudo-hifa (nova grafia após acordo ortográfico), quando vista ao microscópio, pode ser muito semelhante a uma hifa e causar confusão.

Uma pseudo-hifa é definida como uma série de leveduras alongadas unidas entre si, que tem constrições nos sítios septais. Ou seja, após o brotamento, as leveduras não se separam, alongando-se e ficando com o aspecto semelhante às hifas.

Uma colônia de pseudo-hifas pode ser chamada de pseudomicélio. A extensão de alongamento das células pode variar consideravelmente, dependendo das condições de crescimento.

Pseudo-hifa

Todas as pseudo-hifas compartilham algumas propriedades, como divisões celulares sincronizadas, o que as distinguem das hifas verdadeiras.

Uma grande variedade de espécies de fungos formam pseudo-hifas, incluindo as espécies mais patogênicas de Candida e muitos fungos pleomórficos que exibem transições entre as formas de crescimento filamentosa e unicelular.

Critério de diferenciação

O critério para a diferenciação entre hifa verdadeira e pseudo-hifa está na observação da formação do tubo germinativo (hifa verdadeira).

A partir da célula leveduriforme, na formação da hifa verdadeira não há a constrição entre a célula-mãe e o filamento, já pseudo-hifas possuem a constrição entre a célula-mãe e o comprimento do filamento.

Hifa, pseudo-hifa e levedura

 

Referências

Barbedo, LS; Sgarbi, DBG. Candidíase. DST - J bras Doenças Sex Transm, 2010.

Bastidas, RJ; Heitman, J. Trimorphic stepping stones pave the way to fungal virulence. PNAS, 2009.

Wightman et al. In Candida albicans, the Nim1 kinases Gin4 and Hsl1 negatively regulate pseudohypha formation and Gin4 also controls septin organization. JBC, 2004.

Veses, V; Gow, NA. Pseudohypha budding patterns of Candida albicans. Med Mycol, 2009.

Brunno Câmara Biomédico

Biomédico, CRBM-GO 5596. Especialista em Hematologia e Hemoterapia pelo programa de Residência Multiprofissional do Hospital das Clínicas - UFG (HC-UFG). Criador e administrador do blog Biomedicina Padrão. Criador e integrante do podcast Biomedcast (biomedcast.com).