Precisando de conteúdo para complementar seus estudos?
Conheça os Kits de Estudo Biomedicina Padrão: biomedicinapadrao.com.br/kits

Como conseguir Iniciação Científica na Biomedicina

segunda-feira, agosto 08, 2016 0 Comentários


Precisando de conteúdo para complementar seus estudos?
Conheça os Kits de Estudo Biomedicina Padrão: biomedicinapadrao.com.br/kits

IC

Texto escrito por Carolina Nobre

Entrou na Biomedicina e quer fazer iniciação científica? Confira algumas dicas de como conseguir entrar para o mundo da pesquisa científica.

Muitas pessoas decidem entrar para o curso de Biomedicina pensando na parte de análises clínicas (uma das habilitações mais populares), mas há também aqueles que sempre sonharam em ser cientistas e veem no curso uma grande possibilidade para alcançar este objetivo.

Mas o fato é que no decorrer dos quatro ou cinco anos, cada um sente uma afinidade maior por determinada área, uns já no início e outros até mesmo depois de formados, afinal são 36 habilitações fantásticas para nos deixar indecisos.

Para quem estuda em alguma universidade federal ou particular que é forte na área de pesquisa científica, o contato com este mundo já ocorre nos primeiros períodos. Além do incentivo dos professores, sempre há aulas práticas em laboratórios ou algum colega que desde o início do curso conseguiu algum estágio, nos fazendo despertar um interesse maior para essa área.

Nas federais há também o programa Jovens Talentos Para a Ciência, que seleciona alunos do primeiro período de vários cursos que queiram ingressar na área científica, e além da oportunidade de estagiar em um ótimo laboratório de sua escolha, você recebe uma ajuda de custo do governo.

No decorrer do curso, também é comum que você sinta uma afinidade maior por determinado professor ou disciplina e até mude de opinião referente à área que gostaria de atuar. Não fique triste se isso acontecer; é sempre bom estar mudando de opinião, um sinal de que você tem a cabeça aberta a novas possibilidades.

Quando isso acontecer, procure conversar com outro professor e ver se ele trabalha em alguma linha de pesquisa, para que você conheça o seu laboratório. Converse também com os seus colegas e mantenha um bom relacionamento com eles. Muitas vezes, eles podem saber de algum laboratório que tenha a ver com você.

O trabalho de conclusão de curso (TCC) que é exigido por muitas universidades e faculdades, também é uma grande chance para que você procure um (a) orientador (a) e saiba melhor no que ele trabalha. Além disso, grande parte dos alunos de iniciação científica recebem propostas para fazer um mestrado quando se formarem.

Sou de uma faculdade particular que não tem estrutura para pesquisas científicas, e agora?

Não se preocupe, fique sempre atento aos sites da universidade onde você pretende estagiar, porque muitas vezes as vagas são anunciadas por lá. Nesses sites também é possível ver os e-mails para contato e linhas de pesquisas dos professores.

Uma grande dica é: não tenha medo! Não se menospreze!

Alguns alunos brilhantes de faculdades particulares acham que por estudarem em uma instituição menor, será mais difícil de conseguir uma iniciação científica, o que não é verdade. Basta você conversar com seus professores, que podem conhecer alguém que trabalhe com pesquisa, mostrar seu interesse e pedir ajuda.

Ao contrário do que muitos dizem, você pode sim estagiar no laboratório de uma universidade federal, basta que o professor responsável pelo laboratório autorize, como qualquer outro aluno. Te garanto que você será muito bem-vindo (a) e terá muitas oportunidades de ganhar o seu espaço lá dentro.

Bolsa

E como se já não fosse muito bom estagiar no lugar que você sempre sonhou, você sabia que pode ganhar uma bolsa para isso?

“O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) visa apoiar a política de Iniciação Científica desenvolvida nas Instituições de Ensino e/ou Pesquisa, por meio da concessão de bolsas de Iniciação Científica (IC) a estudantes de graduação integrados na pesquisa científica. A cota de bolsas de (IC) é concedida diretamente às instituições, estas são responsáveis pela seleção dos projetos dos pesquisadores orientadores interessados em participar do Programa. Os estudantes tornam-se bolsistas a partir da indicação dos orientadores.”

Ter uma ajuda financeira é uma excelente oportunidade para muitos acadêmicos que estudam em tempo integral, o que praticamente impossibilita ter algum emprego ou estágio remunerado. Sabemos que não fica barato se alimentar na faculdade e pagar o transporte todos os dias.

Depois de escolher o lugar onde deseja fazer sua iniciação científica, certifique-se que você terá um bom relacionamento com seu professor orientador e colegas de laboratório. Peça para conhecer o laboratório, deixe claro os dias e horários que você poderá dedicar a tais atividades e, se possível, converse com as pessoas que já frequentam o local para entender como funciona a dinâmica.

Não se identificou com o lugar? Tudo bem, você ainda terá inúmeros lugares para conhecer.

Viu como não é difícil? Basta ser bastante esforçado e ter muita vontade de aprender. O importante é sempre mostrar interesse, ser bastante curioso e saber aproveitar todas as oportunidades existentes nesse maravilhoso mundo da pesquisa.

Texto escrito por Carolina Nobre, Biomédica, mestranda do Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas (Fisiologia e Farmacologia) da Universidade Federal de Goiás.

Brunno Câmara Biomédico

Biomédico, CRBM-GO 5596. Especialista em Hematologia e Hemoterapia pelo programa de Residência Multiprofissional do Hospital das Clínicas - UFG (HC-UFG). Criador e administrador do blog Biomedicina Padrão. Criador e integrante do podcast Biomedcast (biomedcast.com).