Cientistas conseguem inativar proteína

Por Brunno Câmara - domingo, novembro 15, 2009


Curta nossa página ↓

Precisando de conteúdo para complementar seus estudos?
Conheça os Kits de Estudo Biomedicina Padrão: biomedicinapadrao.com.br/kits


Cientistas descobriram uma maneira de desarmar uma proteína que seria a causadora da leucemia e de outros tipos de câncer. A novidade, do Instituto de Câncer Dana-Farber, dos Estados Unidos, publicada na revista "Nature", pode significar uma esperança para novos tratamentos da doença. Outras tentativas anteriores de neutralizar essa proteína, chamada de Notch, fracassaram, o que levou os especialistas a concluírem que drogas não a combateriam.

A proteína Noch tem como função estimular ou inibir o desenvolvimento das células e pode interferir no crescimento de tumores. O gene responsável por formar esta proteína é normalmente danificado ou sofreu mutação nos pacientes com linfoblastoma, um tipo de leucemia. A consequência é que o gene é estimulado o tempo todo, levando ao crescimento incontrolável das células, uma caracaterística do câncer.

Outras anormalidades na proteína Notch também podem causar câncer de pulmão, ovário, do pâncreas e tumores gastrointestinais. Examinando de perto a estrutura da proteína Notch, os pesquisadores conseguiram isolar uma parte mais fraca de sua estrutura. Empregaram então uma técnica para moldar quimicamente pedacinhos da proteína, os chamados peptídeos, numa forma tridimensional específica.

Essas partes modificadas puderam ser absorvidas pelas células e foram capazes de alterar o gene em locais específicos. Depois de desenhar e testar vários peptídeos modificados, os pesquisadores identificaram um capaz de desarmar a função da Notch. A descoberta, testada em ratos, foi capaz de limitar o crescimento das células cancerígenas.
Fonte: BBC  Brasil

Brunno Câmara Autor

Brunno Câmara - Biomédico, CRBM-GO 5596, habilitado em patologia clínica e hematologia. Docente do Ensino Superior dos cursos de graduação em Biomedicina e Farmácia. Especialista em Hematologia e Hemoterapia pelo programa de Residência Multiprofissional do Hospital das Clínicas - UFG (HC-UFG). Mestrando no Programa de Pós-graduação em Biologia da Relação Parasito-Hospedeiro do Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública - UFG (IPTSP-UFG). Coordenador e docente do curso de pós-graduação em Hematologia e Hemoterapia da AGD Cursos. Criador e administrador do blog Biomedicina Padrão. Criador e integrante do podcast Biomedcast.

  • Compartilhar:

Artigos relacionados

0 comentários

Não temos interesse em publicar nada que nos ofenda ou ofenda outros visitantes. Só são aprovados textos que valorizem o que fazemos aqui e que podem ajudar outras pessoas, agregando valor ao conteúdo. O comentário precisa ser útil!