A Eritropoetina pode te ajudar com os exercícios físicos

Por Brunno Câmara - segunda-feira, janeiro 21, 2013


Curta nossa página ↓

Precisando de conteúdo para complementar seus estudos?
Conheça os Kits de Estudo Biomedicina Padrão: biomedicinapadrao.com.br/kits

No Brasil mais de 65 milhões de pessoas, 40% da população, está com excesso de peso, enquanto 10 milhões são considerados obesos. As complicações relacionadas à doença (doenças cardíacas, AVE, diabetes e alguns tipos de câncer) lideram as causas de morte em quase todo o mundo.

Quando trata-se de competição entre comida e exercícios, a comida claramente ganha medalha de ouro. Mas não é por falta de vontade. Se você digitar “motivação para fazer exercícios físicos” no Google encontrará 530.000 resultados. É muito difícil entrar no ritmo de ir à academia.

Mas essa desmotivação pode estar com os dias contados. Um grupo de pesquisadores suíços descobriu que quando os níveis do hormônio Eritropoetina (Epo) estavam elevados em camundongos, eles eram mais motivados a exercitarem-se.

“Se você não pode colocar os exercícios em uma pílula, então talvez você possa colocar a motivação para exercitar-se,” disse um dos pesquisadores.

Atualmente alguns atletas utilizam-se da Epo, ilegalmente, para ter maior transporte de oxigênio, já que esse hormônio é quem regula a eritropoese, processo de formação de novos eritrócitos responsáveis pelo transporte dos gases sanguíneos.

Agora é esperar para ver se é mesmo possível criar uma pílula com a Epo como princípio ativo e quem sabe as academias fiquem mais cheias do que os fast-foods.

Informações de Mother Nature Network

Brunno Câmara Autor

Brunno Câmara - Biomédico, CRBM-GO 5596, habilitado em patologia clínica e hematologia. Docente do Ensino Superior dos cursos de graduação em Biomedicina e Farmácia. Especialista em Hematologia e Hemoterapia pelo programa de Residência Multiprofissional do Hospital das Clínicas - UFG (HC-UFG). Mestrando no Programa de Pós-graduação em Biologia da Relação Parasito-Hospedeiro do Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública - UFG (IPTSP-UFG). Coordenador e docente do curso de pós-graduação em Hematologia e Hemoterapia da AGD Cursos. Criador e administrador do blog Biomedicina Padrão. Criador e integrante do podcast Biomedcast.

  • Compartilhar:

Artigos relacionados

0 comentários

Não temos interesse em publicar nada que nos ofenda ou ofenda outros visitantes. Só são aprovados textos que valorizem o que fazemos aqui e que podem ajudar outras pessoas, agregando valor ao conteúdo. O comentário precisa ser útil!