5 áreas de atuação na biomedicina para quem quer ter contato com pacientes

Muitas pessoas me perguntam diariamente sobre como poderiam ter contato com pacientes, mesmo sendo biomédicos.

Eu, particularmente, prefiro fazer um experimento, pipetar, liberar um laudo, do que ter que lidar diretamente com pacientes (rsrsrs). Mas, esse é o meu perfil. Por isso gostei tanto da biomedicina.

Sabemos que a maioria das nossas áreas de atuação não contemplam esse contato, pois a maioria de nós ainda trabalha muito nas bancadas de laboratório.

Mas, nem tudo está perdido. Existem algumas possibilidades para quem tem esse desejo. Confira!

5- Coleta de amostras biológicas

A coleta de amostras como sangue e outros fluidos biológicos faz parte da fase pré-analítica do laboratório de análises clínicas. Essa fase é responsável por cerca de 70% dos erros laboratoriais. Então, ter um profissional de nível superior responsável por essas coletas, sua identificação e transporte, é fundamental.

Se você gosta de ter contato com os pacientes, a coleta pode ser o momento para isso. Se você trabalhar em um hospital, e coletar de pacientes internados, pode aproveitar para conhecê-los e estabelecer um sentimento de confiança, diminuindo o estresse na hora da coleta. Você pode conversar com o paciente, explicar como será o procedimento, o que fazer após a coleta etc.

“Mas Brunno, eu não estudei quatro/cinco anos para ficar somente na coleta”. Sim, eu sei. Mas se o seu desejo é ter esse contato, essa é uma das opções. Há outras abaixo.

4- Imagenologia/Diagnóstico por imagem

O diagnóstico por imagem (imagenologia) é o estudo dos órgãos e sistemas do corpo humano através das diversas modalidades de exames de imagem, dentre as quais se destacam a radiologia, mamografia, ultrassonografia, densitometria óssea, tomografia computadorizada, ressonância magnética, medicina nuclear, etc.

O Biomédico habilitado em imagenologia pode trabalhar com todas essas modalidades.

O contato com o paciente acontece em diversos momentos. Você pode realizar a administração dos meios de contraste e realizar entrevista e análise prévia do paciente. Além disso, o profissional posiciona o paciente no equipamento, explica como o procedimento irá ser realizado e tira as dúvidas que venham a surgir.

Na medicina nuclear, você pode realizar a administração dos radiofármacos seguindo os protocolos estabelecidos para cada exame e a orientação do médico nuclear, além de realizar entrevista e análise prévia do paciente.

Para saber mais sobre as atribuições do biomédico na imagenologia clique aqui.

3- Aconselhamento genético

É realizado o aconselhamento genético com  objetivo de  fornecer informações detalhadas sobre determinada condição que é ou pode ter origem genética. O atendimento é direcionado para indivíduos afetados por doenças genéticas e malformações congênitas e suas famílias e para pessoas sem histórico familiar de doença genética, mas que possuam risco aumentado de que seus descendentes apresentem alguma dessas doenças.

Um exemplo seria explicar a um casal, ambos portadores do traço falciforme, que está tentando ter filhos, quais as probabilidades de seus filhos nascerem com anemia falciforme, quais os tratamentos existentes para a doença, como será a vida de seu filho perante a sociedade etc. Geralmente os pacientes são acompanhados por uma equipe multiprofissional.

Para trabalhar com o aconselhamento genético é necessário ser geneticista. Você, enquanto biomédico, pode especializar-se nessa área.

Para saber mais sobre aconselhamento genético clique aqui.

2- Acupuntura

O biomédico acupunturista pode pode realizar o diagnóstico energético, considerando a propedêutica e etiopatogenia da Acupuntura, visando à identificação dos distúrbios dos padrões energético-orgânicos e participar do seu tratamento com técnicas da acupuntura e algumas outras da Medicina Tradicional Chinesa (Ex.: Ventosaterapia, Auriculoterapia/Auriculoacupuntura, Moxabustão, etc).

Na acupuntura você tem contato com o paciente e observa sua melhora. Casos de pacientes com dificuldades motoras, decorrentes de problemas neurológicos, conseguindo se reabilitar, ou, ao menos, conseguindo uma melhor qualidade de vida. Pessoas que estão conseguindo voltar a trabalhar, por que não sentem mais dores, pessoas com problemas psíquicos ou psicológicos que após o tratamento de acupuntura conseguiram levar uma vida mais proveitosa.

Confira a entrevista com o Biomédico Acupunturista Flávio Barbosa clicando aqui.

1- Biomedicina Estética

Creio que esta seja a área que mais atrai aqueles que querem esse contato com o paciente.

A biomedicina estética desenvolve e aplica os tratamentos para as disfunções estéticas corporais, faciais e envelhecimento fisiológico relacionados à derme e seus anexos, tecido adiposo e metabolismo.

O biomédico esteta cuida da saúde, bem-estar e beleza do paciente, relacionando os melhores recursos da saúde ao seu preciso conhecimento para o bem do paciente, por meio de tratamentos que promovem a recuperação dos tecidos e do organismo como um todo.

Para saber mais sobre a biomedicina estética clique aqui.


75 vagas de estágio para Biomedicina na Fiocruz

A FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ - FIOCRUZ realizará processo de recrutamento e seleção de estagiários e formação de cadastro reserva para fins de estágio não obrigatório.

O processo de recrutamento e seleção para vagas disponíveis e formação de cadastro de reserva para fins de estágio será regido por este Edital e executado em conjunto com o CENTRO DE INTEGRAÇÃO EMPRESA ESCOLA – CIEE.

Quantidade

São 75 vagas para biomedicina. A maioria dessas vagas englobam também outros cursos, como farmácia, biologia, biotecnologia, medicina veterinária entre outras.

Descrição da vaga e requisitos

Cada vaga tem seus próprios requisitos e também as atribuições dos estagiários. Para saber mais acesse o link no final.

Locais

As vagas estão distribuídas em diversas cidades do Brasil.

Amazonas/Manaus, Bahia/Salvador, Ceará/Fortaleza, Minas Gerais/Belo Horizonte, Paraná/Curitiba, Pernambuco/Recife, Rio de Janeiro/Rio de Janeiro, Rondônia/Porto Velho e Brasília.

Carga horária

Os estágios podem ser de 20 ou 30 horas semanais, no período da manhã e/ou a tarde.

Bolsa

4h horas diárias – R$ 364,00.

6h diárias – R$ 520,00.

Auxílio transporte – R$ 132,00.

Inscrição

As inscrições poderão ser realizadas gratuitamente a partir das 10h00min do dia 18 de julho de 2017 até às 23h59min do dia 01 de agosto de 2017, no site do CIEE.

Link para o edital e site CIEE


Criado o Jornal da Biomedicina da Universidade Federal de Uberlândia

O Jornal da Biomedicina foi idealizado por alunos e professores do curso de graduação em Biomedicina do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), o ICBIM. A ideia é tornar assuntos da área biomédica acessíveis tanto aos alunos da universidade, quanto a população em geral.

A grande curiosidade e preocupação geradas por acontecimentos no nosso dia a dia levantam questões que serão discutidas nas edições do jornal. Como exemplo, a atual situação das epidemias resultantes das infecções pelo vírus Zika e H1N1 tem preocupado toda a população no Brasil e no mundo, e mobilizado para uma maior conscientização e combate a tais doenças.

No ano em que se completa 10 anos de criação do curso de Biomedicina, houve a necessidade de criar algo que levasse o nosso curso a um próximo nível de qualidade e também tornasse de conhecimento da população o que fazemos e como fazemos.

E então, a partir da propriedade intelectual de alunos do curso de Biomedicina da UFU criou-se o Jornal da Biomedicina com a intenção de levar tanto à população acadêmica quanto a população além dos muros da universidade abordagens sobre assuntos atuais e que geralmente levam a muitos questionamentos e algumas vezes são respondidos de forma equivocada ou não são passadas da forma correta.

Além de abordagens mais comuns, há o interesse em tentar mostrar avanços nos resultados de pesquisa, projetos de pesquisa em andamento, projetos de ensino, projetos de extensão e depoimentos sobre assuntos atuais de caráter acadêmico, científico e/ou social que contribuam com o fortalecimento da biomedicina.

Acesse: jornaldabiomedicina.wixsite.com/jbmd
Facebook: facebook.com/jornaldabiomedicina


Como funciona o ciclo cardíaco

Um dos órgãos vitais para a nossa sobrevivência é o coração, que atua como uma bomba, distribuindo o sangue e nutrientes para os outros órgãos do organismo.

Para realizar essa sua função, seu ciclo se divide basicamente duas fases: sístole e diástole. Mas há uma série de acontecimentos para que elas ocorram.

Então, antes de tudo, lembre-se disso:

  • Sístole –> contração;
  • Diástole –> relaxamento;

De uma forma geral, antes de todo o processo de contração se iniciar, é necessário que haja a deflagração de um potencial de ação, através da abertura de canais voltagem dependente de sódio, cálcio e potássio. Isto irá provocar alterações elétricas na membrana plasmática dos cardiomiócitos. Com a ligação do cálcio à troponina C, há liberação do sítio de ligação da actina à miosina, ocorrendo a ação de catraca, culminando na contração muscular (lembrando que o coração é formado de músculo estriado esquelético cardíaco).

Para que ocorra o relaxamento, algumas proteínas intracelulares como a SERCA ATPase, irão bombear o cálcio novamente para o retículo sarcoplasmático, onde fica armazenado, fazendo com que a ligação actina-miosina se desfaça e o músculo relaxe.

Dê uma olhada na Figura 1 abaixo e não se assuste. Talvez os seus professores de fisiologia já te mostraram ela em alguma aula ou até mesmo a colocaram em uma prova, e vou te dizer que é a chave para se entender o sistema cardiovascular.

Te ensinarei a interpretá-la e depois de ler este post, você vai dominar essa parte.

Figura 1

Então, como qualquer figura muito complicada, concentre-se em apenas uma parte, e agora olhe apenas para a linha vermelha, ela representa a contração ventricular, mais detalhadamente, do ventrículo esquerdo, uma vez que ele é o determinante de contração e pressão arterial porque é responsável pela circulação sistêmica. No ventrículo direito não há grandes variações de pressão, porque faz parte da circulação pulmonar.

Observe primeiramente que é um gráfico de tempo vs. pressão, e vá tentando correlacionar o que está acontecendo no coração com a abertura das válvulas e o traçado.

Começaremos pelo átrio, já que o potencial de ação cardíaco é gerado no nodo sinoatrial, vai para o nodo átrio-ventricular e segue via Feixe de His, espalhando-se pelas fibras de Purkinje até o ápice do coração.


Figura 2

Então, com a deflagração do potencial de ação no nodo sinoatrial, ocorre a sístole atrial, fazendo com que a diferença de pressão entre as câmaras, feche a válvula atrioventricular, na tentativa de impedir o influxo de sangue para os átrios (essa é uma das funções das válvulas).

Em poucos milissegundos, a corrente elétrica produzida pelo potencial de ação chega aos ventrículos e os contrai, ocorrendo a fase que chamamos de contração isovolumétrica (iso = igual; é um processo de contração sem alteração de volume).

Quando a contração é forte o suficiente para realizar uma pressão de aproximadamente 80 mmHg, a válvula aórtica se abre, ocorrendo a ejeção do sangue. Após o fechamento da mesma, o ventrículo relaxa-se (relaxamento isovolumétrico, porque não entrou sangue novamente ainda), e então a válvula atrioventricular abre-se, realizando o enchimento ventricular, seguido da sístole atrial e tudo isso descrito acima novamente.

Na parte inferior da imagem, observando o eletrocardiograma, podemos inferir também que a onda P refere-se à despolarização atrial (que como consequência leva à sístole atrial), o complexo QRS, à despolarização ventricular (levando também a sístole ventricular), e a onda T corresponde à repolarização ventricular (relaxamento/diástole ventricular).

Podemos observar uma curiosidade também: o fonocardiograma. As bulhas cardíacas audíveis (primeira e segunda, principalmente, já que a terceira é audível apenas em poucas pessoas), são resultado do fechamento das válvulas cardíacas, sendo a primeira bulha, da válvula atrioventricular e a segunda, da aórtica.

E agora, será que você consegue interpretar os outros traçados? É só seguir o mesmo raciocínio que te garanto que dá certo. Este foi um resumo bem básico desse tópico de fisiologia cardiovascular. Espero ter ajudado vocês!

Texto escrito por Carolina Nobre, Biomédica, mestranda do Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas (Fisiologia e Farmacologia) da Universidade Federal de Goiás.

Referências

AIRES, M. M. (2012) Fisiologia, 4ª ed., Ed. Guanabara Koogan/GEN, Rio de Janeiro, RJ.


Será que todo Hemograma é completo?

Hemograma

O hemograma é um dos exames laboratoriais mais solicitados na prática médica. Ele contempla as contagens das células sanguíneas, a diferenciação dessas células e suas alterações morfológicas, a dosagem de hemoglobina e a determinação do hematócrito, além de outros parâmetros derivados, como o VCM, HCM, CHCM etc.

É muito comum ainda vermos a denominação HEMOGRAMA COMPLETO sendo utilizada na solicitação do exame, assim como na lista de exames realizados pelos laboratórios. Mas a dúvida que fica é: todo hemograma já não é completo?

Vamos analisar mais detalhadamente.

Para profissionais da saúde

Atualmente, quando solicita-se um hemograma, faz-se, obrigatoriamente, todas as análises listadas a seguir:

  • Eritrograma: contagem de hemácias, hemoglobina, hematócrito, VCM, HCM, CHCM e RDW;
  • Leucograma: contagem total de leucócitos e contagem diferencial de leucócitos;
  • Plaquetograma: contagem de plaquetas; às vezes VPM, plaquetócrito e PDW.

Além disso, qualquer alteração observada na microscopia da distensão sanguínea é relatada no laudo.

Para chegar no laudo final do hemograma, várias etapas são realizadas. Hoje em dia, a automação da realização do hemograma trouxe mais qualidade, confiabilidade e rapidez na sua execução, com alguns aparelhos liberando o resultado em um ou dois minutos, no máximo.

Hemograma completo com contagem de plaquetas?

Porém, num passado não tão distante, quando os aparelhos atuais não faziam parte da rotina laboratorial, o hemograma era feito manualmente. E com isso, um resultado poderia levar horas para ficar totalmente pronto.

Como muitas vezes o solicitante do hemograma não poderia esperar todo esse tempo para obter o resultado do exame, ele solicitava partes do hemograma, como por exemplo só as contagens de hemácias e leucócitos e dosagem de hemoglobina. Assim, o resultado sairia mais rápido e o paciente poderia receber um diagnóstico em menos tempo, o que é crucial para muitas situações, como uma infecção bacteriana, por exemplo.

Agora, quando o paciente não estava em situação de urgência/emergência, o profissional de saúde solicitava o hemograma completo, com todas as análises que citei acima.

Isso explicaria, em parte, por que essa cultura de ainda utilizar a denominação de hemograma completo.

Pesquisando em livros de hematologia e de técnicas laboratoriais, achei também a seguinte explicação:

“O hemograma consiste na contagem total de leucócitos, na contagem de eritrócitos, hemoglobina, hematócrito, índices hematimétricos  e contagem de plaquetas. Uma contagem sanguínea completa (hemograma completo) consiste no hemograma e na contagem diferencial dos leucócitos.”

A hemogram consists of a white blood cell count (WBC), red blood cell count (RBC), hemoglobin (Hb), hematocrit (Hct), red blood cell indices, and a platelet count. A complete blood count (CBC) consists of a hemogram plus a differential WBC.

Então, teoricamente, se você basear-se por essa definição, quando falar apenas hemograma significa que a contagem diferencial dos leucócitos não foi solicitada. Já quando você falar hemograma completo todas as análises são realizadas, inclusive a diferenciação dos leucócitos.

Para pacientes

Muitas pessoas leigas no assunto acabam interpretando a palavra “completo” como algo que seja capaz de diagnosticar várias alterações e doenças, de tal forma que, se o seu hemograma completo está normal, com todos os valores dentro da referência, significa que elas estão saudáveis.

Outras vão ao médico querendo fazer um “check up” e acham que o hemograma completo vai dar todas as informações sobre sua saúde, como a glicemia, perfil lipídico etc.

O hemograma analisa basicamente suas células sanguíneas. Para fazer a dosagem de outras substâncias do seu corpo, como glicose, hormônios, lipídios, o sangue que foi coletado é processado (separado) e utiliza-se a parte líquida, chamada de plasma (com anticoagulante) ou soro (sem anticoagulante).

Referências

Frances T Fischbach. A Manual of Laboratory and Diagnostic Tests, 7ª edição, 2003.

Renato Failace. Hemograma - Manual de Interpretação, 6ª edição, 2015.


A Biomedicina vista por diferentes ângulos

Desde que comecei a fazer biomedicina, até os dias atuais, sempre busquei levar as informações sobre nossa profissão para quem tem interesse em ingressar na nossa área.

Agora, unido com outros biomédicos espalhados pelo Brasil, criamos uma série de vídeos no YouTube para tirar as dúvidas sobre a biomedicina.

Os integrantes são:

  • Marcelo Oliveira (Canal do Biomédico);
  • Brunno Câmara (Biomedicina Padrão);
  • Fredson Serejo (Prepara Biomédico);
  • Carlos Danilo Cardoso e Marcus Cardoso (Gêmeos da Biomedicina); e
  • Rodrigo Colares (Movimento Biomédicos Unidos do Amazonas).

Para isso, precisamos da sua participação. Mande sua dúvida para nós e responderemos nos próximos vídeos. Use as seguintes hashtags:

  • #BiomedicosUnidos
  • #BiomedicinaPadrao
  • #GemeosDaBiomedicina
  • #PreparaBiomedico
  • #BiomedicinaResponde
  • #CanaldoBiomedico

https://youtu.be/RNQ9uA_yEMA

Durante um mês, vamos fazer uma série de vídeos discutindo nossas habilitações, experiências profissionais e respondendo às perguntas de vocês! E no final, teremos uma live pra fechar com chave de ouro e esperamos por você.

Então não perca, toda sexta às 11:00 horas (horário de Brasília) no Canal do Biomédico, YouTube, um novo vídeo com um desses nomes da Biomedicina.


Vagas para Biomédicos no Diagnósticos do Brasil

DB

O Diagnósticos do Brasil é o único laboratório exclusivo de apoio do país, ou seja, presta serviço de terceirização de exames de forma ética e transparente sem oferecer nenhuma relação de concorrência com os seus clientes.

O DB dispõe de unidades regionais distribuídas por todo o Brasil. As URAs (unidades regionais de atendimento) oferecem estrutura completa para cadastro e triagem de amostras, facilitando e agilizando o seu recebimento. Todas as unidades são supervisionadas por um responsável técnico.

Locais

  • Palmas – TO;
  • Natal – RN;

Há também vagas para analistas clínicos em São José dos Pinhais – PR e Sorocaba – SP.

Para concorrer é necessário enviar o seu currículo para o e-mail elisandra.figueiro@dbdiagnosticos.com.br e cadastrar-se no site  <link>.

DIVULGAÇÃO VAGAS DB - NATAL-RN

DIVULGAÇÃO VAGAS DB - PALMAS - TO


Laboratório portátil: será mesmo?

E se o seu médico pudesse fazer seus exames durante a consulta?

Pois é, isso seria revolucionário! Mas quais as implicações disso? Como funcionaria o processo? E os controles de qualidade? E as exceções, será que serão detectadas?

São muitas perguntas que precisam ser respondidas, mas caso já haja resposta, estaremos totalmente abertos para discussão e divulgação dessa ferramenta que aparenta ser uma revolução para as análises clínicas.

Vamos ouvir e discutir?

Baixar mp3

Gostou? Curte aí a página do Biomedcast no Facebook: facebook.com/biomedcast

Clique aqui para ouvir no seu iPod, iPhone e iPad

Acesse o site: www.biomedcast.com


1 vaga para Biomédico na residência multiprofissional da FMUSP em Assistência Cardiorrespiratória (2018)

A Universidade de São Paulo (USP), por meio da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária e da Comissão de Residência Multiprofissional (COREMU) abrirá inscrições para o processo seletivo para preenchimento das vagas dos Programas de Pós-Graduação Lato Sensu de Residência em Área Profissional da Saúde nas modalidades uni e multiprofissional, para o período letivo 2018-2020.

Área de concentração

Assistência Cardiorrespiratória (FMUSP).

Vagas

1 vaga para Biomedicina.

Requisitos

  • Graduação em biomedicina;
  • Registro no conselho de classe;
  • Não ter vínculo empregatício.

Duração e carga horária

Os programas de Residência em Área Profissional de Saúde e Multiprofissional seguem as diretrizes do Ministério da Educação, portanto, são desenvolvidos em regime de dedicação exclusiva, com duração de 24 meses, com carga horária total de 5.760 horas, sendo 80% voltadas para a prática em serviço (4.608 horas) e 20% teórico-práticas (1.152 horas).

A carga horária é cumprida em jornada de 60 horas e uma folga semanal, programadas em calendário disponibilizado mensalmente.

Bolsa

Em acordo com legislação vigente será paga aos residentes uma bolsa mensal no valor de R$ 3.330,43.

Inscrições

De 20 de julho a 17 de agosto de 2017
Taxa: R$ 265,00

Link para o edital 2018 (link atualizado)


Desafio – Identifique as alterações morfológicas das hemácias

O eritrócito normalmente possui a forma de um disco bicôncavo. Quando visto de frente apresenta uma região central mais clara (halo) do que a da zona periférica.

Isto decorre em virtude da distribuição da hemoglobina em seu interior. Dá-se o nome de poiquilocitose às alterações morfológicas dos eritrócitos.

Testes seus conhecimentos respondendo o quiz abaixo:

Caso você não esteja conseguindo visualizar o quiz corretamente pelo celular clique aqui