Biomédicos criam a Associação Baiana de Biomedicina

Associação Baiana de Biomedicina

A Associação Baiana de Biomedicina (ABB) começou com a vivência e a participação de colegas Biomédicos em Congressos Regionais, bem como as experiências em reuniões de classe. Atualmente, luta para se tornar referência na representação dos Biomédicos na Bahia.

Com sede provisória em Feira de Santana, onde são realizadas atividades administrativas, culturais científicas e de confraternização profissional, a ABB possui todas as condições para o desenvolvimento de suas atividade.

A ABB, possui características científicas, culturais e sociais e vale ressaltar que é constituída por Biomédicos de diferentes áreas de atuação, juntamente com acadêmicos de Biomedicina que podem contribuir muito com o futuro da Biomedicina.

Sendo assim, tem por finalidade reciclar e especializar os Biomédicos e assim contribuir para a seu aprimoramento científico, cultural e ético.

Contatos:

Site: abbiomedicina.com.br

Instagram: instagram.com/abb.biomedicina

Facebook: .facebook.com/abb.biomedicina

E-mail: abb.biomedicina@gmail.com


Anvisa registra primeiro autoteste para HIV

O primeiro autoteste para triagem do HIV foi registrado pela Anvisa nesta segunda-feira (15/5). O produto é destinado ao público em geral e poderá ser vendido em farmácias e drogarias. O nome do produto no Brasil será Action, da empresa Orangelife Comércio e Indústria.

De acordo com a documentação do processo de registro do produto, o teste funciona com a coleta de gotas de sangue, semelhante aos testes já existentes para medição de glicose por diabéticos.

Detecção de anticorpos

O resultado aparece na forma de linhas que indicam se há ou não presença do anticorpo do vírus HIV. A presença do anticorpo mostra que a pessoa foi exposta ao HIV. O resultado leva de 15 a 20 minutos para ficar pronto. O teste funciona para os dois subtipos do vírus.

E depois do resultado, o que fazer?

O autoteste aprovado pela Anvisa demonstrou sensibilidade e efetividade de 99,9%. Porém, o produto só é capaz de indicar a presença do HIV 30 dias depois da situação de exposição.

A situação de exposição é o momento em que a pessoa pode ter tido contato com o vírus da Aids, pode ter sido por uma relação sexual sem proteção ou pelo compartilhamento de agulhas, por exemplo. Esse período de 30 dias é o tempo que o organismo precisa para produzir anticorpos em níveis que o autoteste consegue detectar.

Se uma nova situação acontecer após esse período um novo teste precisa ser feito, respeitando o prazo necessário para detecção e as confirmações necessárias.

  • Resultado negativo: é recomendável que o teste seja repetido 30 dias depois e outra vez depois de mais 30 até completar 120 dias após a primeira exposição. O período sempre deve ser contado a partir da última situação de risco.
  • Resultado positivo: a pessoa deve procurar um serviço de saúde do SUS, para confirmação do resultado com testes laboratoriais e encaminhamento para o tratamento gratuito adequado, se for necessário.

O preço do produto será definido pelo mercado, já que no Brasil não existe regulação de preços para produtos de saúde e a Anvisa, por lei, não pode fixar este valor.

O teste de farmácia para AIDS não poderá ser utilizado na seleção de doadores de sangue, já que, para isso, existem outros procedimentos.

Entenda o autoteste para HIV / AIDS

  • O teste Action traz o dispositivo de teste,  um líquido reagente, uma lanceta (específica para furar o dedo), um sachê de álcool e um capilar.
  • O resultado leva de 15 a 20 minutos para aparecer.
  • O teste deve ser repetido após 30 dias em caso de resultado negativo.
  • Em caso positivo o resultado deve ser confirmado em um serviço de saúde.
  • O teste é capaz de identificar o HIV 30 dias depois da possível contaminação. Se houver nova exposição (situação de risco), o teste deverá ser feito novamente respeitando este prazo.

E aí, o que você acha? O que uma pessoa leiga com um resultado positivo irá fazer? E aquelas com resultados negativos que estão dentro da janela imunológica? Será que irão seguir as recomendações acima?

Fonte: Anvisa


Pequeno atlas de Parasitologia

Escólex de Taenia solium

Escólex de Taenia saginata

Ovo de Taenia spp.

Ovo de Hymenolepis diminuta

5

Ovo de Hymenolepis nana

6

Macho adulto de Enterobius vermicularis

Ovo de Enterobius vermicularis

Adultos de Trichuris trichiura

Ovo de Trichuris trichiura

Larva de Ancilostomídeo

Ovo de Ancilostomídeo

Adulto de Ascaris lumbricoides

Ovo fértil de Ascaris lumbricoides

Ovo infértil de Ascaris lumbricoides

Ovo de Schistosoma mansoni

Adultos de Schistosoma mansoni

Cisto de Entamoeba coli

Cisto de Entamoeba histolytica       

Cisto de Giardia lamblia

Trofozoíto de Giardia lamblia

25

Trofozoítos de Trichomonas vaginalis

Tripomastigota de Trypanosoma cruzi

Trofozoíto de Plasmodium sp.

24

Adulto de Fasciola hepatica

Ovo de Fasciola hepatica

Referência: DPDx (Laboratory Identification of Parasites of Public Health Concern), CDC.


Como é feito o diagnóstico da Dengue

Atualmente, a infecção pelo vírus da Dengue (DENV) é a doença viral transmitida por mosquito mais importante do mundo.

Assim como outros flavivírus o genoma do DENV é composto por uma fita simples de RNA. Porém, ao contrário dos outros flavivírus, ele possui quatro subtipos, denominados DENV1, DENV2, DENV3 e DENV4, que são geneticamente similares mas antigenicamente distintos.

A infecção por qualquer um dos quatro sorotipos de DENV pode resultar em uma gama de manifestações clínicas, indo desde uma febre branda até um quadro hemorrágico, com a maioria dos casos (70-80%) sendo assintomáticos. Depois da infecção primária, o indivíduo fica imunologicamente protegido contra aquele sorotipo em particular.

Diagnóstico clínico

O diagnóstico clínico da dengue é desafiador, dependendo principalmente de qual estágio da infecção a pessoa encontra-se. Dependendo da região geográfica, podem existir outros micro-organismos que causam doenças com sintomas similares ao da dengue.

Nos estágios iniciais, a doença apresenta-se como uma febre branda, parecida com a da gripe, e sintomas similares a outras doenças como influenza, Zika, Chikungunya, febre amarela e malária.

Devido a diversidade de sintomas, é essencial o uso das técnicas laboratoriais para um diagnóstico preciso.

Classificação

Em 2009, um grupo coordenado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) elaboraram uma série de diretrizes para o manejo clínico da dengue.

Além disso, eles modificaram a classificação da doença, passando de dengue febril, dengue febril com hemorragia e síndrome do choque da dengue para dengue (com ou sem sinais de alarme) e dengue grave.

Diagnóstico laboratorial

Para o diagnóstico laboratorial, diversos biomarcadores são utilizados, como a detecção do vírus (isolamento viral), a pesquisa de produtos virais (antígenos) ou a resposta imunológica do hospedeiro (imunoglobulinas). O aparecimento e duração desse biomarcadores dependem do estágio da infecção.

Isolamento viral

Esse método de diagnóstico tem sido o mais tradicional na detecção do DENV, mas está sendo gradualmente substituído pela reação de transcrição reversa, seguida da reação da polimerase em cadeia (RT-PCR) e também pelo ensaio imunoenzimático (ELISA) para captura do antígeno NS1.

Para o isolamento do DENV, amostras dos pacientes são cultivadas em células de mosquitos ou mamíferos, ou ainda em mosquitos vivos. As amostras coletadas até cinco dias após o início da infecção apresentam os melhores resultados.

O problema dessa metodologia é a demora, já que o resultado do isolamento pode demorar de dias até semanas para ficar pronto.

RT-PCR

Métodos moleculares têm sido usados com sucesso no diagnóstico da infecção pelo DENV. O ponto positivo é a rapidez no resultado, que pode ficar pronto no mesmo dia ou no dia seguinte.

Essa metodologia pode detectar o RNA viral desde o início da infecção, é sensível, específica, rápida, menos complicada e mais barata do que o isolamento viral.

Apesar dessas vantagens, a utilização da RT-PCR nem sempre é uma opção em locais remotos onde a dengue é endêmica, já que requer equipamentos especializados e profissionais treinados para realizar as análises.

Além disso, apesar de haver kits comerciais disponíveis, a maioria dos métodos de RT-PCR são desenvolvidos in house e não têm uma padronização entre os centros de diagnóstico.

Captura do antígeno NS1

A proteína viral NS1 é o alvo ideal, pois é secretada pelas células infectadas e pode ser detectada desde o início dos sintomas até nove dias ou mais, pelo menos na infecção primária.

A NS1 pode ser detectada no mesmo momento do RNA viral e antes do aparecimento dos anticorpos.

A primeira abordagem para a captura do antígeno NS1 por ELISA foi descrito em 2000. Após, foram desenvolvidos kits comerciais para captura de NS1 por ELISA e por imunocromatografia (teste rápido).

Isso revolucionou o diagnóstico de dengue e forneceu um exame simples que requer pouca tecnologia para ser executado, e agora é o novo padrão ouro no diagnóstico da infecção.

Sorologia

Existem inúmeras metodologias para a detecção das imunoglobulinas anti-DENV, incluindo inibição da hemaglutinação, imunofluorescência indireta, fixação do complemento, western blotting, ELISA entre outras.

IgM pode aparecer entre três e cinco dias na infecção primária, com pico em algumas semanas após a recuperação, permanecendo detectável por alguns meses.

IgG geralmente não aparece durante a fase aguda da infecção primária. Porém, durante a infecção secundária, há um rápido aumento de IgG em resposta aos epítopos de múltiplas proteínas compartilhados entre o primeiro e segundo sorotipo, com seu aparecimento após três dias do início da infecção.

A detecção do DENV por sorologia em locais onde existem mais de um flavivírus (Zika, Chikungunya, febre amarela) é complicado, devido a epítopos da proteína E dos flavivírus e, consequentemente, a ocorrência de reação cruzada dos anticorpos. Isso pode levar a resultados falso-positivos.

Combinação

Dessa forma, a melhor forma de diagnóstico da dengue é a combinação de detecção do vírus e dos produtos virais, juntamente com a sorologia. Além disso, o monitoramento clínico continua sendo importante, identificando os pacientes com risco de progressão para a dengue grave.

Fonte: Muller, D. A. et al. Clinical and Laboratory Diagnosis of Dengue Virus Infection. J Infect Dis, 2017.


Como dissecar um cérebro [vídeo]

O cérebro humano é um enigma... ele é curiosamente grande em relação ao tamanho de nosso corpo, consome uma quantidade imensa de energia para o seu peso e tem o córtex cerebral bizarramente denso.

Os cérebros mostrados no vídeo abaixo estão sendo dissecados de acordo com um protocolo internacional e foram armazenados em um banco de tecidos para pesquisas posteriores.

Os órgãos foram doados por pessoas com Doença de Parkinson ou Esclerose Múltipla, ambas doenças degenerativas e incuráveis do sistema nervoso central.

Aqui tem mais alguns vídeos interessantes:


Viaje pelo corpo humano por meio da Realidade Virtual

A aplicação “The Body VR: Journey Inside a Cell” é uma experiência educacional de realidade virtual que leva o usuário para dentro do corpo humano.

Você pode viajar por meio da circulação sanguínea e descobrir como as hemácias transportam o oxigênio, por exemplo.

Entrando em uma das bilhões de células você pode aprender mais sobre as organelas e como é uma defesa antiviral.

Se você gostou, confira os requisitos mínimos do sistema:

  • SO: Windows 7
  • Processador: Intel i5 2Ghz
  • Memória: 8 GB de RAM
  • Placa de vídeo: Nvidia GTX 970
  • Armazenamento: 400 MB de espaço disponível

O melhor de tudo é que ela é grátis. Clique aqui para baixar.

Para mais informações, acesse o site http://thebodyvr.com/


Criaram um Útero Artificial: E agora?

A prematuridade é uma importante causa de morbidade e mortalidade. Tentativas de manter a gestação usando um sistema extracorpóreo tiveram sucesso limitado.

Agora, pesquisadores desenvolveram um sistema de oxigenação conectado a um feto de um cordeiro, pelo cordão umbilical, que é mantido dentro de um “saco”, preenchido com líquido amniótico, que simula o ambiente uterino.

Nesse episódio comentamos sobre esse estudo e quais as suas implicações para o futuro.


Ouça o Biomedcast #55


Baixar 

Gostou? Curte aí a página do Biomedcast no Facebook: facebook.com/biomedcast

Clique aqui para ouvir no seu iPod, iPhone e iPad

Acesse o site: www.biomedcast.com


Banco de lâminas digitais em Patologia (grátis)

A plataforma PathPresenter fornece acesso gratuito a milhares de lâminas digitais. Você pode usar as imagens para estudar e ensinar, incluindo em suas apresentações de slides.

Para utilizar o banco de lâminas digitais é necessário apenas fazer um castro rápido e confirmar seu e-mail.

Depois basta procurar a lâmina de seu interesse, que está separada por seções:

  • Osso e tecidos moles;
  • Mama;
  • Citologia;
  • Endócrino;
  • Olho;
  • Gastrointestinal;
  • Geniturinário;
  • Ginecológico;
  • Cabeça e pescoço;
  • Hematopatologia;
  • Fígado;
  • Neuro;
  • Oral;
  • Pediátrico;
  • Pele;
  • Torácico;

Como uma das minhas áreas preferidas é a hematologia, fui logo acessando a seção de hematopatologia. Fiquei impressionado com a quantidade de lâminas disponíveis.

Você pode clicar em display para visualizar ou no ícone “i” (azul) para obter informações sobre a lâmina, como diagnóstico, coloração e órgão.

Após abrir o visualizador da lâmina você pode ir dando zoom até o aumento máximo. Além disso é possível adicionar setas, quadrados e círculos para marcar ou sinalizar alguma célula/estrutura.

Outra opção interessante é o modo apresentação, em que você pode adicionar várias lâminas em uma apresentação e visualizá-las de forma similar ao PowerPoint.

Acesse www.pathpresenter.com


A.C.Camargo oferece curso de Biologia Celular e Molecular do Câncer

O curso teórico abordará conceitos básicos e avançados de Biologia Celular e Biologia Molecular com enfoque nos mecanismos relacionados ao câncer. 

Quando:
17/07/2017 a 21/07/2017

Horário:
Das 8h às 17h

Onde:
Auditório CIPE

Público:
Alunos de graduação que tenham cursado as disciplinas de Biologia Celular e Molecular.

Serão selecionados 20 alunos para apresentação oral de seus resultados de estágios de iniciação científica, podendo concorrer ao II Prêmio A.C. Camargo de Jovens Pesquisadores. Além do prêmio de primeiro lugar, outros 2 alunos receberão menção honrosa. Tanto o prêmio quanto a menção honrosa consistirão de documentos emitidos pela secretaria de pós-graduação do A.C.Camargo Cancer Center. Para as demais vagas, os alunos poderão enviar resumos para apresentarem seus trabalhos na forma de pôster.

Serão oferecidas também 10 vagas para alunos recém-formados em cursos de graduação na área da saúde.

Vagas:
50

Duração
O curso terá duração total de 36 horas.

O Curso de Inverno para alunos de graduação - Biologia Celular e Molecular do Câncer é essencialmente teórico.

Aula 1: Qual a importância da Epidemiologia no estudo do câncer?
Aula 2: As Mutações somáticas e a hereditariedade no câncer.
Aula 3: Como a bioinformática pode ajudar a compreender o câncer.
Aula 4: Metagenômica
Aula 5: Sinalização intracelular.
Aula 6: Biópsia Líquida.
Aula 7: A importância da Angiogênese para o câncer.
Aula 8: Metástase.
Aula 9: Da pesquisa básica aos desafios da pesquisa clínica.
Aula 10: Imunologia de tumores.
Aula 11: Vesículas
Aula 12: Expressão gênica e epigenética no câncer

Visitação técnica:

1. Laboratório de cultura celular.
2. Laboratório de Biologia Celular e Molecular.
3. Laboratório de microscopia confocal e citometria de fluxo.
4. Laboratório de Citogenética e Genética Molecular.
5. Laboratório de Genômica e Biologia Molecular.
6. Laboratório de Oncogenética Molecular.
7. Laboratório Genética Médica.

As inscrições serão realizadas de 9 de maio à 31 de maio.

Link para inscrição


Promoção relâmpago - Os 10 primeiros ganharão 50% de desconto no curso rápido de perfusão

Em comemoração ao dia do Perfusionista, 05 de maio, a AGD cursos irá oferecer o curso rápido sobre perfusão no dia 06 de maio de 2017, em Goiânia.

E para você ter a oportunidade de participar, o blog irá custear 50% da inscrição para os 10 primeiros interessados que preencherem o formulário abaixo, ou seja, você pagará só metade da inscrição.

Então, para participar é bem simples: seja rápido preencha o formulário! Após, a AGD cursos entrará em contato com você.

Mais info: o curso ocorrerá no dia 06 de maio de 2017, das 8 às 12 horas, com inscrição no valor de R$ 80,00, em Goiânia-GO.

www.asgardcursos.com.br