Precisando de conteúdo para complementar seus estudos?
Conheça os Kits de Estudo Biomedicina Padrão: biomedicinapadrao.com.br/kits

4 vagas para biomédico no concurso dos Hospitais Universitários da UFPA (2016)

HUBF-UFPA e HUJBB-UFPA

O Presidente da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares – EBSERH, no uso de suas atribuições legais, torna pública a realização de Concurso Público para a contratação do quadro de pessoal, visando ao preenchimento de vagas em empregos da Área Assistencial, com lotação no COMPLEXO HOSPITALAR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ, CONSTITUÍDO PELO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO BETTINA FERRO DE SOUZA – HUBF-UFPA E PELO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO JOÃO DE BARROS BARRETO – HUJBB – UFPA.

Requisitos

Diploma, devidamente registrado, de curso de graduação em Biomedicina, fornecido por instituição de ensino superior, reconhecido pelo Ministério da Educação; e registro profissional no Conselho Regional de Biomedicina.

Quantidade

4 vagas.

Carga horária

40 horas semanais.

Remuneração

R$ 5.409,79 mensais.

Período de inscrição

Até 01 de agosto de 2016.

Taxa

R$ 80,00, nível superior.

Banca organizadora

Instituto AOCP.

Link para o edital


Como diferenciar uma hifa de uma pseudo-hifa

Hifa x Pseudo-hifa

Alguns fungos podem ter vários tipos de esporos assexuais morfologicamente diferentes. Assim, o talo de alguns fungos pode reversivelmente mudar de levedura, para pseudo-hifas e para hifas sob condições ambientais específicas.

Essas formas são independentes umas das outras e apresentam características específicas de desenvolvimento.

Hifa

As hifas são estruturas tubulares. O citoplasma é cercado por uma parede rígida que separa o fungo, fisicamente e funcionalmente, do meio externo.

Na maioria dos casos, a hifa é divida em compartimentos. A parede que a divide é chamado septo. O septo é incompleto nos estágios iniciais da vida de uma hifa.

Hifa verdadeira

O alongamento da hifa acontece no ápice. A região da ponta se estende enquanto o citoesqueleto distribui vesículas contendo materiais e enzimas para a dissolução da velha e construção da nova parede no ápice.

Pseudo-hifa

De acordo com o dicionário, o prefixo pseudo- significa: de teor falso; cujo conteúdo não corresponde à realidade. Sendo assim, uma pseudo-hifa (nova grafia após acordo ortográfico), quando vista ao microscópio, pode ser muito semelhante a uma hifa e causar confusão.

Uma pseudo-hifa é definida como uma série de leveduras alongadas unidas entre si, que tem constrições nos sítios septais. Ou seja, após o brotamento, as leveduras não se separam, alongando-se e ficando com o aspecto semelhante às hifas.

Uma colônia de pseudo-hifas pode ser chamada de pseudomicélio. A extensão de alongamento das células pode variar consideravelmente, dependendo das condições de crescimento.

Pseudo-hifa

Todas as pseudo-hifas compartilham algumas propriedades, como divisões celulares sincronizadas, o que as distinguem das hifas verdadeiras.

Uma grande variedade de espécies de fungos formam pseudo-hifas, incluindo as espécies mais patogênicas de Candida e muitos fungos pleomórficos que exibem transições entre as formas de crescimento filamentosa e unicelular.

Critério de diferenciação

O critério para a diferenciação entre hifa verdadeira e pseudo-hifa está na observação da formação do tubo germinativo (hifa verdadeira).

A partir da célula leveduriforme, na formação da hifa verdadeira não há a constrição entre a célula-mãe e o filamento, já pseudo-hifas possuem a constrição entre a célula-mãe e o comprimento do filamento.

Hifa, pseudo-hifa e levedura

 

Referências

Barbedo, LS; Sgarbi, DBG. Candidíase. DST - J bras Doenças Sex Transm, 2010.

Bastidas, RJ; Heitman, J. Trimorphic stepping stones pave the way to fungal virulence. PNAS, 2009.

Wightman et al. In Candida albicans, the Nim1 kinases Gin4 and Hsl1 negatively regulate pseudohypha formation and Gin4 also controls septin organization. JBC, 2004.

Veses, V; Gow, NA. Pseudohypha budding patterns of Candida albicans. Med Mycol, 2009.


Descoberta mutação genética ligada diretamente à Esclerose Múltipla

Pesquisadores da Universidade de British Columbia e Vancouver Coastal Health provaram que a esclerose múltipla (EM) pode ser causada por uma única mutação genética. O artigo foi publicado na edição de junho do periódico Neuron.


Você pode ouvir essa notícia no Biomedcast (Biomed Express #3): biomedcast.com/e3


O que é Esclerose Múltipla

A EM resulta do ataque do sistema imune à bainha de mielina, o material composto por lipídeos que envolve os axônios e faz com que haja uma rápida transmissão dos sinais elétricos.

Quando a mielina é degradada, a comunicação entre o cérebro e as outras partes do corpo é interrompida, levando a problemas de visão, fraqueza muscular, dificuldade de equilíbrio e coordenação motora, e deficiências cognitivas.

A mutação

A mutação foi encontrada em 7 pessoas de duas famílias canadenses que tinham vários membros diagnosticados com um tipo de EM de rápida progressão, em que os sintomas são cada vez piores e não existe tratamento efetivo.

Nessas duas famílias, 70% das pessoas que apresentaram a mutação, desenvolveram a doença.

O gene onde a mutação foi encontrada é chamado NR1H3. Ele produz uma proteína conhecida como LXRA, que atua como interruptor em outros genes. Alguns desses genes, cessam a inflamação excessiva que degrada a mielina ou ajudam a produzir a mielina para reparar o dano.

Os pesquisadores descobriram que a substituição de apenas um nucleotídeo (substituição da Arginina na posição 415 por Glutamina), produz uma LXRA defeituosa que é incapaz de ativar aqueles outros genes importantes. 

Os resultados podem apontar para terapias que agem no próprio gene ou que agem nos efeitos decorrentes da mutação.

Em curto prazo, a triagem para a mutação em pessoas com alto risco pode propiciar um diagnóstico e tratamento precoce, antes de os sintomas aparecerem.

Ajuda nas pesquisas

Atualmente a EM é simulada em ratos injetando mielina neles, que dispara uma resposta imune, ou alimentando-os com uma droga que destrói diretamente a mielina. Só que nenhum método simula como a doença se origina em humanos.

Sabendo da existência dessa mutação, agora os cientistas poderão fazer suas pesquisas com ratos produzidos por engenharia genética, habilitando o estudo da cascata de reações que levam à EM.

Artigo: Wang et al. Nuclear Receptor NR1H3 in Familial Multiple Sclerosis. Neuron, 2016.

Gostou? Curte aí a página do Biomedcast no Facebook: facebook.com/biomedcast

Clique aqui para ouvir no seu iPod, iPhone e iPad

Acesse o site: www.biomedcast.com

Fonte: www.med.ubc.ca | Imagem: National Institutes of Health


Estudantes de biomedicina da UFPI criam Liga Acadêmica de Análises Clínicas

LAPAC

A Liga Acadêmica Piauiense de Análises Clínicas (LAPAC) é uma sociedade acadêmica sem filiação religiosa, política ou partidária vinculada ao curso de Biomedicina da Universidade Federal do Piauí, Campus de Parnaíba.

A LAPAC é formada por um grupo de acadêmicos e surgiu devido à necessidade de desenvolver atividades fundamentadas na tríade ensino, pesquisa e extensão que tivessem grande impacto ao curso, aos acadêmicos e a comunidade, de forma integrada entre alunos de graduação, professores e profissionais dos serviços da área da saúde.

A liga tem como objetivo valor aprofundar os conhecimentos das Análises Clínicas em todas as esferas que possam estar envolvidas, desde as técnicas laboratoriais, os procedimentos básicos, a clínica, o suporte laboratorial, o diagnóstico, entre outros.

Os Biomédicos melhoram com a prática, com a experiência, porém não é apenas na vivência laboratorial, realizando procedimentos e técnicas que se dá a formação do profissional.

Site: lapacufpi.wordpress.com

Instagram: @Lapac_ufpi

Facebook: www.facebook.com/LAPACufpi

Email: lapacufpi@gmail.com


Atuação do biomédico na licenciatura, marinha, toxicologia e com células-tronco

marinha-toxicologia-licenciatura

Será que é uma boa alternativa o biomédico fazer um curso de licenciatura e atuar dando aulas no ensino fundamental e médio, ou seria desvio de função?

Uma habilitação da biomedicina que ainda é muito pouco explorada é a toxicologia. Há demanda por profissionais altamente qualificados.

O biomédico pode trabalhar na marinha? Se sim, em qual departamento?

Como trabalhar com células-tronco? Existe uma habilitação para isso?

Ficou curioso? Ouça o Biomedcast #35 e descubra as respostas dessas perguntas.

Gostou? Curte aí a página do Biomedcast no Facebook: facebook.com/biomedcast

Clique aqui para ouvir no seu iPod, iPhone e iPad

Acesse o site: www.biomedcast.com


Passo a passo de como descrever a morfologia de um leucócito

Saber descrever a morfologia dos leucócitos pode ajudar muito o médico, dando um alerta ou confirmando uma suspeita.

Porém, a descrição deve ser bem feita e realizada por um profissional altamente qualificado.

Nesse vídeo, eu falo sobre o  porquê de descrever e como descrever corretamente a morfologia dos leucócitos quando analisamos a distensão sanguínea.

Confira!

youtu.be/WmCIC-4XYrM

Esse foi o primeiro de vários outros vídeos que vamos gravar, com dicas e temas para ajudar vocês nos estudos.

Aproveito para contar a vocês que estou coordenando o curso de especialização de Hematologia e Hemoterapia, na Asgard Cursos, em Goiânia.

Se você ficou interessado nesse assunto e no curso, entre em contato pelo e-mail contato@asgardcursos.com.br ou acesse o site: www.asgardcursos.com.br


Sorteio – Concorra ao e-book Fundamentos de Genética. Participe!

sorteio snustad-1

Em parceria com o Grupo GEN Saúde, iremos sortear o livro digital (e-book) Fundamentos de Genética, 6ª Ed, dos autores D. Peter Snustad e Michael J. Simmons.

Fundamentos de Genética| 6ª edição integra teoria e prática, e apresenta um equilíbrio entre novas informações e conceitos fundamentais. 

O texto contém recursos especiais destinados a enfatizar a relevância dos tópicos expostos, facilitar a compreensão de conceitos importantes e ajudar os estudantes a avaliarem seus conhecimentos.

Dessa vez a promoção está acontecendo no Instagram do blog @biomedicinapadrao. Corre lá, confira o regulamento e participe!

SORTEIO DO E-BOOK FUNDAMENTOS DE GENÉTICA Que tal ganhar esse e-book, um oferecimento do Grupo Gen Saúde? Vamos presentear 1 (um) dos nossos seguidores com o e-book Fundamentos de Genética, dos autores D. Peter Snustad e Michael J. Simmons. Suas aulas de genética nunca mais serão as mesmas. ‼️COMO PARTICIPAR | REGULAMENTO ✔️Curtir essa foto (oficial) no nosso perfil @biomedicinapadrao; ✔️Seguir os perfis do Instagram: @grupogensaude e @biomedicinapadrao; ✔️Marcar 3 (três) amigos nos comentários da Foto Oficial – NÃO serão aceitos perfis de empresas, blogs, fakes e de famosos. Você pode participar quantas vezes quiser, desde que AMIGOS DIFERENTES sejam marcados em cada comentário. Comentários postados até 23h59min do dia 30/06/2016 serão computados e o sorteio será realizado no dia 01/07/2016. O vencedor será anunciado no perfil Biomedicina Padrão. #grupogensaude #biomedicinapadrao #biomedicina #biomédico

Uma foto publicada por Biomedicina Padrão (@biomedicinapadrao) em


Vagas para biomédico no Hospital de Clínicas de Porto Alegre (2016)

Hospital de Clínicas de Porto Alegre - Biomédico

O Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) torna pública a realização dos Processos Seletivos, que reger-se-ão por instruções contidas neste Edital e serão executados em conjunto com a Fundação de Apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (FAURGS).

Cargos

Biólogo I, Biomédico I ou Farmacêutico-Bioquímico I – Genética Médica: Laboratório de Análise de Metabólitos;

Biólogo I, Biomédico I ou Farmacêutico-Bioquímico I – Imunologia.

Carga horária

200 horas mensais.

Remuneração

R$ 5.464,12 mensais. * Valor inicial de classe. Cada classe possui dez níveis salariais.

Quantidade de vagas

O HCPA reserva-se o direito de chamar os candidatos aprovados nos Processos Seletivos, de acordo com as respectivas ordens de classificação, na medida de suas necessidades.

Período e taxa de inscrição

Até 06 de julho de 2016.

Nível superior: R$ 105,00.

Link para o edital


Técnica promissora pode ser usada como uma vacina universal contra o câncer

Pesquisadores da Alemanha publicaram um artigo na Nature sobre um técnica que tem o potencial de permitir a criação de vacinas “universais” contra o câncer, o que deixaria o tratamento para a doença mais barata. E em testes iniciais com camundongos e três pacientes humanos os resultados foram promissores.

A vacina é baseada na resposta imune contra infecções virais.


Você pode ouvir essa notícia no Biomedcast (Biomed Express #2): biomedcast.com/e2


Os pesquisadores combinaram o RNA produzido por uma célula cancerígena com lipídeos (lipoplexos) similares aos lipídeos de uma membrana. Essa combinação foi chamada de RNA-LPX.

Esses lipoplexos (LPX) protegem o RNA contra a ação das ribonucleases extracelulares e estimula a liberação de interferon-α (IFNα) por células dendríticas e macrófagos.

Ao ajustarem algumas porções do RNA-LPX, eles conseguiram produzir partículas com uma leve carga negativa. Essa carga ajudou a direcionar as partículas para as células dendríticas localizadas no baço, linfonodos e medula óssea.

As células dendríticas, que são células apresentadoras de antígeno, processam esse RNA “cancerígeno” e produzem antígenos que induzem uma resposta efetora e de memória pelos linfócitos T, direcionada àquelas células tumorais, de onde o RNA é proveniente - até então, elas eram consideradas pelo sistema imune como sendo próprias.

Os dois tipos de resposta imune são envolvidos: adaptativa (mediada pelos Linfócitos T) e inata (mediada pelo IFNα).

Como qualquer antígeno à base de polipeptídeos pode ser codificado como RNA, a técnica do RNA-LPX representa uma classe de vacinas universalmente aplicáveis para o direcionamento sistêmico às células dendríticas e indução sincronizada de ambos tipos de resposta imunológica, podendo ser utilizado para a imunoterapia no câncer.

Kranz LM, et al. Systemic RNA delivery to dendritic cells exploits antiviral defence for cancer immunotherapy. Nature. 2016. (link)


Biomedicina é destaque no jornal Folha de São Paulo

Biomedicina Folha de São Paulo

Depois de ser listada como uma das profissões promissoras para 2016 (veja aqui), a Biomedicina  agora é destaque no jornal Folha de São Paulo.

Na reportagem, publicada dia 12 de junho, Otávio Granha, gerente da consultoria de recrutamento Wyser, afirma que “a biomedicina antes era o patinho feio da medicina e farmácia, mas está vendo o estigma mudar”.

A área de inovação é uma das grandes promessas dentro da biomedicina. Segundo Eduardo Marques, diretor de pessoal do grupo Fleury, além das áreas técnicas, o biomédico pode atuar em diferentes funções e setores, como comercial, marketing, pesquisa e desenvolvimento.

Outros profissionais biomédicos raros, são aqueles que unem conhecimentos científicos aos gerenciais e de negócios. A remuneração reflete isso, e está acima da praticada em outras áreas.

Para ler a matéria na íntegra, clique aqui.