Precisando de conteúdo para complementar seus estudos?
Conheça os Kits de Estudo Biomedicina Padrão: biomedicinapadrao.com.br/kits

2 vagas para Biomédico na Residência Multiprofissional na UFTM (2017)

O Programa de Residência Integrada Multiprofissional é de tempo integral e terá a duração de 2 anos tendo como cenários de prática: no primeiro ano, o Complexo Hospitalar da UFTM e no segundo, a rede de atenção primária vinculada à Secretaria Municipal de Saúde.

Área de concentração

Saúde do adulto.

Vagas

2 vagas para biomedicina.

Requisitos

  • Graduação em biomedicina;
  • Registro no conselho de classe;
  • Não ter vínculo empregatício.

Duração e carga horária

Os programas de Residência em Área Profissional de Saúde e Multiprofissional seguem as diretrizes do Ministério da Educação, portanto, são desenvolvidos em regime de dedicação exclusiva, com duração de 24 meses, com carga horária total de 5.760 horas, sendo 80% voltadas para a prática em serviço (4.608 horas) e 20% teórico-práticas (1.152 horas). A carga horária é cumprida em jornada de 60 horas e uma folga semanal, programadas em calendário disponibilizado mensalmente.

Bolsa

Em acordo com legislação vigente será paga aos residentes uma bolsa mensal no valor de R$ 3.330,43.

Inscrições

De 03 a 23 de outubro de 2016

Taxa: R$ 200,00

Link para o edital


Estudantes de biomedicina criam projeto para inclusão social de deficientes auditivos no ensino superior e mercado de trabalho

A ideia surgiu como uma proposta da disciplina de Ética e Bioética ministrada pela professora Larissa Alvarim, tendo sua temática desenvolvida pelo MEC (Ministério da Educação).

O grupo é formado por 5 estudantes de Biomedicina do Complexo Educacional FMU: Breno Henrique, Aline Negromonte, Elen Marland, Priscila Hamamoto e Monalisa Bispo.

O tema abordado pelo Projeto Ouça-nos é voltado para a Inclusão social de Deficientes Auditivos no ensino superior e no mercado de trabalho. A finalidade desse projeto é conscientizar o máximo de pessoas possível sobre a vida e a rotina de pessoas com quaisquer grau de deficiência auditiva nos meios universitários e de trabalho, de forma à expor as dificuldades e as barreiras por estas superadas diariamente para que consigam realizar todos os seus sonhos e objetivos, numa luta direta com preconceito, falta de acessibilidade e de informação de parte da população.

Ainda que o governo e instituições públicas, privadas e não governamentais se preocupem em dar auxílio e informação para as pessoas afetadas por essa deficiência, a qual o CENSO de 2010 revelou corresponder a 5,8% da população brasileira, a necessidade na melhoria de infraestruturas para receber essas pessoas ainda se faz presente no nosso cotidiano, ainda que seja nas coisas mais simples, como atender a um telefonema, ou precisar pedir uma informação quando não se é deficiente auditivo oralista.

Os estudantes pretendem levar informação e conhecimento para toda a comunidade, fazendo assim com que a necessidade dos deficientes auditivos saia do silêncio, e que estes sejam ouvidos, sejam pelas suas vozes, ou pelas suas mãos que possuem a habilidade de se comunicar.

“Aproveitamos ainda para agradecer ao Leo Negromonte, portador de deficiência auditiva desde que nasceu, organizador de projetos sobre o tema, usuário do Implante Coclear, e graduando do curso de Publicidade e Propagando pela UNIP”, afirmam os estudantes.

Sobre o nome do projeto: “Ouça-nos” vem com a proposta de quebrar a barreira de que todo surdo é mudo. Esta visão é completamente incorreta, visto que a Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) também é um idioma, desta forma, nenhum deficiente aditivo é mudo, pois as formas de comunicações são diversas independentemente da capacidade de oralizar ou não do indivíduo.

www.facebook.com/oucanos


Curso – Citometria de Fluxo aplicada à Hematologia Clínica

O curso terá ênfase em Imunofenotipagem de neoplasias hematológicas, com um forte embasamento teórico do diagnóstico imunológico das neoplasias e uma intensa carga de interpretação de casos, tanto nas exposições teóricas quanto nas aulas práticas com análise de casos em tempo real.

O desenho pedagógico do curso obedece a um crescente de complexidade, mas terá fundamentalmente como foco desenvolver e/ou aprimorar no aluno o raciocínio diagnóstico crítico, incluindo de casos raros.

Todas as aulas foram planejadas com o estado da arte em imunofenotipagem de neoplasias hematológicas, trazendo aos participantes informações relevantes e recentes nessa área.

Palestrante

Dr. Leandro de Souza Thiago, Ph.D. - Biomédico pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2002) e Doutor em Ciências Morfológicas pela UFRJ (2008). Realizou Pós-Doutorado em Imunologia e Hematologia no Centro de Investigación del Cáncer da Universidad de Salamanca (Espanha), no laboratório do prof. Alberto Orfao (2008 - 2009) e um segundo Pós-Doutorado no Departamento de Clínica Médica da UFRJ (2009-2011). Atualmente é Biomédico Pleno do Centro de Pesquisa do Instituto Nacional de Câncer (INCA) e Especialista em Citometria Clínica do Departamento de Patologia Geral da Faculdade de Ciências Médicas da UERJ.

Público-alvo

Estudantes e profissionais Biomédicos, Biólogos, Farmacêuticos e Médicos.

Carga horária e local

Carga horária: 16 horas.

Datas: 5 e 6 de Novembro de 2016.

Local: Região Central de São Paulo (capital).

Investimento

Estudantes: 200,00.

Sócio ABBM: 250,00.

Profissionais: 300,00.

cbecsp.com/citometria-de-fluxo


Os 15 melhores cursos de biomedicina de 2016 segundo o Ranking Universitário Folha

O RUF (Ranking Universitário Folha) é uma avaliação anual do ensino superior do Brasil feita pela Folha desde 2012. No ranking de universidades estão classificadas as 192 universidades brasileiras, públicas e privadas, a partir de cinco indicadores: pesquisa, internacionalização, inovação, ensino e mercado.

No ranking de cursos é possível encontrar a avaliação de cada um dos 40 cursos de graduação com mais ingressantes no Brasil, como administração, direito e medicina, a partir de dois indicadores: ensino e mercado. Em cada classificação são considerados os cursos oferecidos por universidades, por centros universitários e por faculdades.

Confira os 15 melhores cursos de biomedicina do Brasil em 2016:

  1. Universidade de São Paulo (USP)
  2. Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP)
  3. Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
  4. Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
  5. Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
  6. Universidade Estadual de Londrina (UEL)
  7. Universidade Federal de Uberlândia (UFU)
  8. Universidade Federal do Pará (UFPA)
  9. Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
  10. Universidade de Franca (UNIFRAN)
  11. Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  12. Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM)
  13. Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL-MG)
  14. Universidade Nove de Julho (UNINOVE)
  15. Universidade Paulista (UNIP)

Seu curso não está entre os 15? Clique no link a seguir e veja em que posição ele ficou -ruf.folha.uol.com.br/2016/ranking-de-cursos/biomedicina (você pode filtrar por estado e cidade, e também se a instituição é publica ou privada).


Interpretação do Hemograma

Sabe interpretar um hemograma? Sabe quais informações este exame pode fornecer para o médico? Essas e muitas outras dúvidas serão solucionadas neste episódio.

Fizemos um apanhado de todos os detalhes do exame mais solicitado na maioria dos laboratórios clínicos e o resultado foi um programa de mais de 1h20!

Esperamos que gostem e que seja útil para todos. Desde os estudantes, para estudar para aquela prova clássica de hematologia, para os recém-formados sem experiência e que querem dar aquela revisada antes de assumir um plantão num laboratório, até para aqueles que não são da área, para entender melhor para que serve este exame tão comum e ao mesmo tempo tão importante para a avaliação da nossa saúde.

Biomedcast #42 – Interpretação do hemograma (biomedcast.com/42)

Baixar

Para ver as imagens comentadas clique aqui.

Gostou? Curte aí a página do Biomedcast no Facebook: facebook.com/biomedcast

Clique aqui para ouvir no seu iPod, iPhone e iPad

Acesse o site: www.biomedcast.com


2 vagas para Biomédico na Residência Multiprofissional do Hospital de Doenças Tropicais (2017)

O Grupo Técnico (GT) do Processo Seletivo Unificado de Residências Médica e Multiprofissional da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO), juntamente com a Comissão de Residência Multiprofissional em Saúde e em Área Profissional de Saúde da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (COREMU/SES-GO), no uso de suas atribuições legais, torna público o Edital para a abertura de inscrições, objetivando a seleção de candidatos para os Programas de Residência Multiprofissional em Saúde e em Área Profissional de Saúde, em nível de especialização, de acordo com as áreas de concentração e áreas profissionais.

Área de concentração

Infectologia.

Vagas

2 vagas para biomedicina.

Requisitos

  • Graduação em biomedicina;
  • Registro no conselho de classe;
  • Não ter vínculo empregatício.

Duração e carga horária

Os programas de Residência em Área Profissional de Saúde e Multiprofissional seguem as diretrizes do Ministério da Educação, portanto, são desenvolvidos em regime de dedicação exclusiva, com duração de 24 meses, com carga horária total de 5.760 horas, sendo 80% voltadas para a prática em serviço (4.608 horas) e 20% teórico-práticas (1.152 horas).

A carga horária é cumprida em jornada de 60 horas e uma folga semanal, programadas em calendário disponibilizado mensalmente.

Bolsa

Em acordo com legislação vigente será paga aos residentes uma bolsa mensal no valor de R$ 3.330,43.

Inscrições

De 26 de setembro a 14 de outubro de 2016.

Taxa: R$ 200,00

Link para o edital


4 vagas para Biomédico na Residência Multiprofissional do Hospital das Clínicas UFG (2017)

A Comissão de Residência Multiprofissional em Saúde e Residência em Área Profissional em Saúde da Universidade Federal de Goiás (COREMU/UFG), no uso de suas atribuições legais, torna público o Edital para a abertura de inscrições, objetivando a seleção de candidatos para os Programas de Residência Multiprofissional em Saúde e em Área Profissional da Saúde, em nível de especialização, de acordo com as áreas de concentração que constam nesse edital.

Área de concentração

Hematologia/Hemoterapia ou Urgência/Emergência.

Vagas

  • 2 vagas para Hematologia/Hemoterapia;
  • 2 vagas para Urgência/Emergência.

Requisitos

  • Graduação em biomedicina;
  • Registro no conselho de classe;
  • Não ter vínculo empregatício.

Duração e carga horária

Os programas de Residência em Área Profissional de Saúde e Multiprofissional seguem as diretrizes do Ministério da Educação, portanto, são desenvolvidos em regime de dedicação exclusiva, com duração de 24 meses, com carga horária total de 5.760 horas, sendo 80% voltadas para a prática em serviço (4.608 horas) e 20% teórico-práticas (1.152 horas).

A carga horária é cumprida em jornada de 60 horas e uma folga semanal, programadas em calendário disponibilizado mensalmente.

Bolsa

Em acordo com legislação vigente será paga aos residentes uma bolsa mensal no valor de R$ 3.330,43.

Inscrições

De 26 de setembro a 13 de outubro de 2016.

Taxa: R$ 200,00.

Link para o edital


4º Curso de Oncologia Molecular em Goiânia – GO

O Curso de Oncologia Molecular, coordenado pelo Instituto de Ensino e Pesquisa da ACCG, visa apresentar os fundamentos básicos e as principais aplicações da biologia molecular em oncologia. Os mecanismos genéticos e epigenéticos envolvidos na carcinogênese, as características moleculares das células tumorais e os princípios usados no diagnóstico, prevenção e tratamento alvo-dirigido do câncer serão os principais temas abordados no curso, dentre outros.

Objetivos do Curso

  • Apresentar e discutir os princípios básicos da biologia molecular aplicados em oncologia.
  • Reconhecer as principais alterações genéticas e as vias de reparo envolvidas na carcinogênese.
  • Discutir as etapas, bem como as principais vias de sinalização envolvidas na regulação do ciclo celular.
  • Identificar as principais características moleculares das células tumorais e suas interações com o ambiente tumoral.
  • Discutir os fundamentos teóricos dos métodos moleculares mais aplicados em oncologia.
  • Destacar as principais aplicações da genética molecular na prevenção, diagnóstico e tratamento do câncer.

Público alvo

Estudantes e profissionais da área de biologia e saúde que queiram ampliar seus conhecimentos sobre biologia molecular e suas principais aplicações em oncologia.

Coordenadores

Dra. Vera Aparecida Saddi e Dr. Cesar Augusto Sam Tiago Vilanova Costa (PUC Goiás e ACCG).

Período a ser ministrado

19 de setembro a 10 de outubro de 2016, das 19:00 às 22:00 horas.

Organização do curso

Instituto de Ensino e Pesquisa – Associação de Combate ao Câncer em Goiás, Rua 239, nº 181, 3º andar, St. Universitário.

Carga horária

30 horas-aula.

Vagas

60 vagas.

Inscrições

No IEP (Instituto de Ensino e Pesquisa da ACCG).

Telefone: (62) 3243-7137 | 3243-7268.

Contato: ensinoepesquisa@accg.org.br

Valor das inscrições

Acadêmicos: R$ 250,00.

Profissionais: R$ 350,00.


Minha vida como biomédico após a residência multiprofissional

Em fevereiro desse ano, compartilhei com vocês que mais uma etapa da minha vida/carreira tinha sido concluída, a minha especialização em hematologia e hemoterapia, pelo programa de residência multiprofissional no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás (HC-UFG). E, no final do texto, brinquei dizendo que ia descobrir se existe vida pós residência.

Pois bem, escrevo hoje a vocês para dizer que sim, existe vida e ela pode ser bem legal. Pelo menos pra mim está sendo.

Quando a residência estava quase acabando, comecei a pensar o que faria depois. Como me acostumar a ficar sem a bolsa que é oferecida pelo programa? Será que iria conseguir meu objetivo?

A primeira coisa foi ficar um tempinho totalmente de férias, sem fazer absolutamente nada. Afinal, foram dois anos intensos, sem feriados e com plantões aos finais de semana.

Fui convidado então para coordenar o curso de pós graduação em hematologia e hemoterapia da Asgard Cursos, em Goiânia, do prof. Jeff Chandler. Que inclusive está com inscrições abertas, veja aqui.

Mas não quis parar por aí. Comecei a contatar alguns conhecidos para ver se sabiam de alguma vaga para docente de biomedicina em alguma faculdade de Goiânia.

O problema é que, além de não ter experiência como docente, o Brasil estava (e ainda está) em crise econômica e política. Milhões de desempregados.

O cenário também estava mudando no ramo universitário. Grupos comprando instituições de ensino superior, outras faculdades fechando ou extinguindo cursos, diminuição dos auxílios financeiros para os estudantes, professores mestres e doutores sendo demitidos e aulas presenciais sendo substituídas por EAD.

Fiquei desanimado por um período, pois quando iria entrar no mercado pra valer, o cenário não estava nada favorável. Mas não deixei isso me abater e continuei a buscar uma vaga na docência. Mandei alguns e-mails e entreguei na mão de Deus.

Foi então que a coordenadora do curso de biomedicina de uma faculdade localizada a 170 km de Goiânia me retornou dizendo que talvez poderia dar certo. Mandei alguns documentos e aguardei mais um pouco. No final deu certo e hoje estou fazendo aquilo que desde a minha graduação é meu objetivo, ajudar na formação de novos biomédicos.

Abro um parêntese aqui para falar da importância do networking. Em 2014 fui convidado pela coordenadora do curso de biomedicina de uma faculdade para dar uma palestra em Anápolis. Um ano depois ela me indicou para a coordenadora de biomedicina da faculdade onde atualmente estou dando aula para dar uma palestra. Seis meses depois essa coordenadora me retorna dizendo que talvez eu conseguiria dar aula lá. E deu certo. Quanto mais pessoas você conhece maiores são suas chances.

Bom, uma coisa já tinha conseguido. Mas ainda faltava uma vontade pessoal, fazer mestrado.

Procurei várias linhas de pesquisa e orientadores e encontrei uma área que achei interessante. Fiz todo o processo seletivo, e conto isso a vocês com um sorriso no rosto: começarei meu mestrado ainda esse mês.

Vou sobreviver? Não sei. Conto para vocês com o passar do tempo. Mas quero dizer a vocês que é possível, seja lá o que você quer fazer, basta correr atrás.

Não poderia deixar de compartilhar isso com vocês, pois esse é um dos objetivos de eu ter criado o blog. Daqui pra frente vou contar pra vocês como é a experiência de dar aula, de fazer mestrado e de fazer as duas coisas ao mesmo tempo.


Diferença entre plasma e soro

Plasma x Soro

Já ficou na dúvida entre a diferença entre plasma e soro? Confira a resposta!

In vivo

O plasma sanguíneo é um líquido de composição complexa. Ele é composto, em sua maioria , por água (cerca de 92%). Além da água, estão presentes componentes orgânicos e inorgânicos e lipídeos.

Dentre esses, as proteínas são os componentes mais importantes, representando uma mistura complexa de mais de 100 tipos diferentes. A albumina é uma das importantes, pois atua na manutenção da pressão osmótica coloidal.

Estão presentes também os fatores da coagulação e fibrinogênio, importantes na hemostasia (diferença entre hemostasia e homeostase).

In vitro

Soro

Vários exames no laboratório clínico, por exemplo os de bioquímica e sorologia, são realizados utilizando o soro. Muitos podem ser feitos utilizando o plasma mas, pela praticidade e qualidade (líquido livre de células), a maioria dos laboratórios utilizam o soro.

O soro é obtido após a coleta, coagulação da amostra e posterior centrifugação, sendo que nenhum anticoagulante é utilizado. O objetivo é que haja a formação de coágulo, e nesse processo os fatores da coagulação, plaquetas e fibrinogênio são consumidos.

Então, de forma simplificada, o soro é o plasma sem fibrinogênio e fatores da coagulação.

Para a obtenção do soro, atualmente são utilizados tubos que contêm ativador de coágulo jateado na parede do tubo, que acelera o processo de coagulação, e gel separador para obtenção de soro com a mais alta qualidade, proporcionando melhor eficiência no processo de trabalho dentro do laboratório.

Plasma

No laboratório, é possível obter o plasma da amostra através da adição de um anticoagulante no tubo de coleta. Existem vários tipos de anticoagulantes, como por exemplo o EDTA, o citrato de sódio, a heparina etc.

Baixe grátis o e-book Entendendo os anticoagulantes – link

Por exemplo, testes da coagulação precisam ser realizados no plasma, ou seja, após a centrifugação da amostra, o sobrenadante precisa conter todas as proteínas e fatores da coagulação. Para isso, utiliza-se o citrato de sódio, que bloqueia a cascata da coagulação, não deixando que esses componentes sejam utilizados, inibindo a formação do coágulo.

Você pode se perguntar: “Mas se o plasma da amostra tem todos os fatores da coagulação, por que ele não coagula por si só?”

Bem, o papel principal do citrato de sódio é formar um quelato com o cálcio, ou seja, ele irá se ligar aos íons cálcio da amostra e a cascata da coagulação será interrompida.

Essa ligação é facilmente reversível, através da adição de novos íons cálcio na amostra. Justamente por causa dessa propriedade é que ele é o anticoagulante usado nos testes de coagulação.

Nos testes de coagulação o cálcio (do kit de diagnóstico) é adicionado à amostra, para a formação do coágulo. O tempo entre a adição do cálcio e a formação do coágulo é que será o resultado do teste.

Plasma x Soro 2