Série vermelha do hemograma ou Eritrograma

Por Brunno Câmara - quinta-feira, janeiro 10, 2019



📚🔬 Apostilas e Livro Digitais

Utilize nossas apostilas digitais como material complementar aos seus estudos - hematologia, uroanálise, parasitologia e líquor.

Vai estudar para um processo seletivo de concurso público ou residência multiprofissional? - Conheça nosso livro de questões comentadas


Eritrograma

O eritrograma é uma das partes que compõem o hemograma e avalia a massa eritrocitária circulante e também os seus precursores produzidos na medula óssea.

É composto por vários parâmetros, uns determinados diretamente e outros derivados dessas determinações.

Dependendo da marca do equipamento e da metodologia/tecnologia utilizada nas análises, as informações aqui presentes podem ser diferentes em alguns aspectos.

Análise direta:

  • Contagem de eritrócitos;
  • Dosagem de hemoglobina.
  • VCM;

Parâmetros derivados:

  • Hematócrito;
  • HCM;
  • CHCM;
  • RDW.

Quando analisados em conjunto, esses parâmetros dão pistas importantes para o diagnóstico de vários distúrbios como as anemias e as poliglobulias.

Confira a seguir mais detalhes de cada um desses parâmetros.

contagem de eritrócitos

Contagem de eritrócitos

Os eritrócitos do sangue periférico são contados pelo aparelho (impedância) e o resultado é dado em µL (microlitro) ou mm³ (milímetro cúbico).

A quantidade normal de eritrócitos, assim como outros parâmetros do eritrograma, varia de acordo com o sexo e idade do indivíduo.

Valores de referência para adultos:

  • Masculino: 4,5 – 6,1 milhões/µL;
  • Feminino: 4,0 – 5,4 milhões/µL.

Obs.: a) Outras formas de expressar o resultado são: x106/µL ou T/L (Tera por Litro);

b) Esses valores também podem variar de acordo com a população estudada, região geográfica, etnia etc.

Termos utilizados:

  • Eritrocitose ou poliglobulia: aumento da quantidade de eritrócitos;
  • Eritrocitopenia: diminuição da quantidade de eritrócitos.

A contagem de eritrócitos deve sempre ser analisada em conjunto com os outros dados do eritrograma, nunca de forma isolada.

Além disso, nunca usá-la como parâmetro para dar o diagnóstico de anemia, pois existem casos de anemias com eritrocitose e de eritrocitopenias sem anemia.

dosagem de hemoglobina

Dosagem de hemoglobina

A dosagem de hemoglobina também é feita no aparelho automatizado de hematologia, por meio de espectrofotometria.

A quantidade normal de hemoglobina varia, principalmente, de acordo com o sexo e idade do indivíduo.

Valores de referência para adultos:

  • Masculino: 14 – 18 g/dL;
  • Feminino: 12 – 16 g/dL.

Obs.: Esses valores podem variar de acordo com a população estudada, região geográfica, etnia etc.

Anemia

Segundo a OMS, o diagnóstico de anemia se dá quando a hemoglobina está abaixo do valor mínimo de referência.

  • Masculino: < 13 g/dL;
  • Feminino: < 12 g/dL.

Então, esse é o parâmetro para determinar se uma pessoa está ou não anêmica.

Porém, só com essa informação não é possível saber a causa primária da anemia, sendo necessária uma investigação mais detalhada com outros exames complementares.

Digamos que, saber que o paciente tem anemia, é apenas a ponta do iceberg.

hematócrito

Hematócrito

É a proporção de eritrócitos circulantes em relação à quantidade total de sangue do indivíduo. Seu valor é expresso em porcentagem.

Ainda é relativamente comum vermos alguns laboratórios ou bancos de sangue realizarem a técnica manual para sua determinação (microhematócrito), porém,  os contadores automatizados também já liberam seu resultado simultaneamente com os outros.

Atualmente, na automação, o hematócrito é um parâmetro derivado do número e do volume dos eritrócitos, ou seja, Hematócrito = Eritrócitos x VCM.

Valores de referência para adultos:

  • Masculino: 40 – 50%;
  • Feminino: 35 – 45%.

É o melhor parâmetro para avaliar a viscosidade sanguínea e também as alterações de volemia plasmática.

VCM

Volume Corpuscular Médio (VCM)

Historicamente, quando o hemograma era feito de forma manual, o VCM era um coeficiente calculado da seguinte forma: VCM = Hematócrito ÷ Eritrócitos.

Os contadores eletrônicos, além de contar, também medem os volumes de cada eritrócito, de forma individual, gerando um valor médio desses volumes, que é o VCM.

Seus valores variam conforme a faixa etária, mas não variam entre os sexos.

Valores de referência para adultos:

  • 80 a 100 fL (fentolitros).

Termos utilizados:

  • Microcitose: VCM < 80 fL;
  • Macrocitose: VCM > 100 fL.

RDW

RDW (red cell distribution width)

O RDW é um parâmetro que veio junto com a automação, não existindo na era do hemograma manual.

Indica a variabilidade de volumes dos eritrócitos, ou seja, se a população de eritrócitos está homogênea ou heterogênea.

O computador do equipamento recebe as medidas, uma a uma, dos eritrócitos e gera uma curva de frequência (histograma) e seu coeficiente de variação.

Valores de referência:

  • 11,5 – 14,5%.

Termo utilizado:

  • Anisocitose: RDW > 14,5%;

Obs.: Valores abaixo do normal não têm significado clínico, pois indicariam um “excesso de homogeneidade” na população eritroide.

Sua avaliação é útil no diagnóstico diferencial das anemias e outras doenças hematológicas.

HCM

Hemoglobina Corpuscular Média (HCM)

O HCM significa a quantidade média de hemoglobina por eritrócito, atualmente calculado pelo equipamento eletrônico.

É obtido pela seguinte fórmula: HCM = Hemoglobina ÷ Eritrócitos.

Algumas marcas de equipamento utilizam a HCM para definir os termos:

  • Hipocromia: HCM < 24 pg;
  • Hipercromia: HCM > 33 pg.

CHCM

Concentração de Hemoglobina Corpuscular Média (CHCM)

CHCM por impedância

A CHCM é calculada pela fórmula: CHCM = Hemoglobina ÷ Hematócrito (ou CHCM = HCM ÷ VCM).

Seu valor é expresso em porcentagem (mais comumente utilizada) ou em g/dL de eritrócitos.

Valores de referência para adultos:

  • 31 – 36% ou g/dL.

Nos equipamentos, como vimos acima, o hematócrito é calculado com base na quantidade de eritrócitos e o VCM (parâmetros medidos diretamente). Sendo assim, a CHCM baseia-se nesses três parâmetros e é afetada por anormalidades em qualquer um dessas três medidas.

O aumento verdadeiro da CHCM geralmente ocorre em pacientes com esferocitose. Fora casos especiais, uma CHCM acima de 36% deve ser investigada.

A CHCM geralmente é utilizada para verificar o desempenho técnico do analisador.

CHCM por laser scatter

Alguns contadores, além de calcularem a CHCM tradicional, medem a concentração de hemoglobina de cada eritrócito, no mesmo momento em que eles são contados e o volume verificado.

Com isso, um novo parâmetro é fornecido: a média da concentração de hemoglobina celular.

Referências

Renato Failace. Hemograma - Manual de Interpretação, 6ª edição, 2015.

IDEXX Laboratories. Mean Corpuscular Hemoglobin Concentration (MCHC).

Sysmex. The red blood cell indices.

Brunno Câmara Autor

Brunno Câmara - Biomédico, CRBM-GO 5596, habilitado em patologia clínica e hematologia. Docente do Ensino Superior. Especialista em Hematologia e Hemoterapia pelo programa de Residência Multiprofissional do Hospital das Clínicas - UFG (HC-UFG). Mestre em Biologia da Relação Parasito-Hospedeiro (área de concentração: virologia). Coordenador e docente do curso de pós-graduação em Hematologia e Hemoterapia da AGD Cursos. Criador e administrador do blog Biomedicina Padrão. Criador e integrante do podcast Biomedcast.
| @biomedicinapadrao | LinkedIn | Lattes |