Precisando de conteúdo para complementar seus estudos?
Conheça os Kits de Estudo Biomedicina Padrão: biomedicinapadrao.com.br/kits

Questão de concurso comentada #3 – Imunologia

terça-feira, maio 13, 2014 0 Comentários


Precisando de conteúdo para complementar seus estudos?
Conheça os Kits de Estudo Biomedicina Padrão: biomedicinapadrao.com.br/kits

(Residência Multiprofissional em Saúde, HC-GO/2013/UFG-COREMU) O VDRL de uma amostra de soro não diluída foi não reagente; da amostra diluída, 1:8 foi reagente e o resultado final foi soro reagente 1:1024. A amostra não diluída apresentou resultado não reagente, pois

a) a escassez de anticorpos na amostra pura levou a um resultado falso-negativo, fenômeno conhecido como efeito pró-zona.

b) o excesso de anticorpos na amostra pura levou a um resultado falso-negativo, fenômeno conhecido como efeito pró-zona.

c) a escassez de anticorpos na amostra pura levou a um resultado falso-negativo, fenômeno conhecido como janela imunológica.

d) o excesso de anticorpos na amostra pura levou a um resultado falso-negativo, fenômeno conhecido como janela imunológica.

RESPOSTA

O VDRL (Veneral Diseases Research Laboratory) é um teste não treponêmico, utilizado rotineiramente no imunodiagnóstico da sífilis. Devido ao baixo custo e praticidade quanto à sua realização, vem sendo usado em larga escala na maioria dos laboratórios.

Apresenta uma técnica rápida de microfloculação, na qual utiliza antígenos extraídos de tecidos como a cardiolipina, um lipídeo derivado do coração de bovinos. A cardiolipina, quando combinada com lecitina e colesterol, forma sorologicamente um antígeno ativo, capaz de detectar anticorpos humorais presentes no soro durante a infecção sifilítica, uma a quatro semanas após o aparecimento do cancro primário. As dosagens quantitativas do VDRL, expressas em títulos, em geral se elevam até o estágio secundário.

As principais desvantagens referem-se aos resultados falso-positivos e falso-negativos. Resultados falso-negativos podem ser encontrados na fase inicial de cancro duro, na sífilis latente tardia e na sífilis tardia ou como resultado do efeito prozona/pró-zona.

O efeito prozona é um fenômeno que ocorre quando existe excesso de anticorpos no soro testado, o qual interfere na formação do complexo antígeno-anticorpo necessário para que aconteça a reação de floculação.

Para evitar o efeito prozona, o profissional de laboratório que executa o exame deve proceder à diluição da amostra testada, até 1:4 ou 1:8. A amostra reatora deve ser titulada até a diluição de ponto final (quando ficar não-reatora). O fenômeno pode estar presente em 1% a 2% dos pacientes, especialmente no estágio de sífilis recente e durante a gravidez.

Janela imunológica é o período entre o primeiro contato com o microrganismo e o surgimento de marcadores laboratoriais detectáveis no organismo (antígeno ou anticorpo). Esse período varia de acordo com o microrganismo e a técnica utilizada, por exemplo, ELISA, detecção de ácido nucleico, entre outras.

Alternativa certa letra B.

Brunno Câmara Biomédico

Biomédico, CRBM-GO 5596. Especialista em Hematologia e Hemoterapia pelo programa de Residência Multiprofissional do Hospital das Clínicas - UFG (HC-UFG). Criador e administrador do blog Biomedicina Padrão. Criador e integrante do podcast Biomedcast (biomedcast.com).