Entendendo a relação entre genética, biologia molecular e bioquímica

Por Brunno Câmara - segunda-feira, janeiro 29, 2018


Precisando de conteúdo para complementar seus estudos?
Conheça os Kits de Estudo Biomedicina Padrão: biomedicinapadrao.com.br/kits


Já se perguntou qual a diferença entre genética e biologia molecular? E entre bioquímica e biologia molecular?

Bem, não há uma linha que separa essas três áreas. Confira a seguir uma explicação sobre cada uma delas.

Bioquímica

Na bioquímica são estudadas as substâncias químicas e os processos vitais que ocorrem nos organismos vivos. Controlando o fluxo de informação por meio de sinalização bioquímica e o fluxo de energia através do metabolismo, os processos bioquímicos dão origem à complexidade da vida.

O foco na bioquímica são o papel, a função e a estrutura das biomoléculas (carboidratos, lipídeos, proteínas e ácidos nucleicos). São exemplos o estudo da química por trás dos processos biológicos e a síntese de moléculas biologicamente ativas.

Tenta-se entender como essas moléculas biológicas dão origem aos processos que ocorrem dentro das células, que está relacionado com o estudo sobre os tecidos, órgãos e organismos inteiros.

Vias metabólicas

A bioquímica está intimamente relacionada à biologia molecular, o estudo dos mecanismos moleculares pelos quais a informação genética codificada no DNA é capaz de resultar nos processos biológicos.

Dependendo da definição, o termo biologia molecular pode representar um braço da bioquímica, ou a bioquímica ser uma ferramenta para investigar e estudar a biologia molecular.

Biologia Molecular

O principal foco da biologia molecular é o estudo dos mecanismos envolvidos nos processos de replicação, transcrição, tradução e, consequentemente, função celular.

Seu dogma central, em que material genético é transcrito em RNA e então traduzido em proteínas, fornece um bom ponto de partida para entender a área.

Biologia molecular - Dogma central

A biologia molecular é principalmente quantitativa, e atualmente tem-se trabalhado de forma conjunta com a ciência da computação por meio de bioinformática e biologia computacional.

Existem diversas técnicas muito utilizadas nessa área, como a clonagem molecular, a reação em cadeia da polimerase (PCR), eletroforese em gel, blot e microarranjos.

Genética

A genética é o estudo dos genes, da variação genética e da hereditariedade em organismos vivos. Além de serem estudados os mecanismos de hereditariedade, hoje em dia a genética moderna estuda a função e o comportamento dos genes.

A estrutura do gene, sua função, variação e distribuição são estudados no contexto da célula, do organismo (ex.: dominante) e no contexto da população. A genética deu origem a várias sub-áreas como a epigenética e a genética de populações.

São estudadas também mutações cromossômicas, como deleção, inserção, translocação e duplicação, que podem ser visualizadas por meio de técnicas citogenéticas, como bandamento cromossômico e FISH.

Um geneticista, por exemplo, que trabalha e estuda doenças genéticas humanas faz uso de heredogramas (imagem) para representar a hereditariedade das características.

Heredograma

Brunno Câmara Autor

Brunno Câmara - Biomédico, CRBM-GO 5596, habilitado em patologia clínica e hematologia. Docente do Ensino Superior. Especialista em Hematologia e Hemoterapia pelo programa de Residência Multiprofissional do Hospital das Clínicas - UFG (HC-UFG). Mestre em Biologia da Relação Parasito-Hospedeiro (área de concentração: virologia). Coordenador e docente do curso de pós-graduação em Hematologia e Hemoterapia da AGD Cursos. Criador e administrador do blog Biomedicina Padrão. Criador e integrante do podcast Biomedcast.

  • Compartilhar:

Artigos relacionados

4 comentários