Como as pesquisas científicas realmente acontecem #overlyhonestmethods

Por Brunno Câmara - quinta-feira, fevereiro 21, 2013


Precisando de conteúdo para complementar seus estudos?
Conheça os Kits de Estudo Biomedicina Padrão: biomedicinapadrao.com.br/kits


Em janeiro, um neurocientista pós-doutor chamado Leigh, começou no twitter uma campanha com a hashtag #overlyhonestmethods, que significa: métodos excessivamente honestos. O que ele queria é que os pesquisadores ao redor do mundo confessassem os segredos por trás de seus protocolos precisos.

A surpresa foi que muitos pesquisadores, usuários da rede social, começaram a confessar o que realmente fazem/fizeram em suas pesquisas para chegar ao resultado e confessaram suas frustrações sobre o rigor científico.

Confira uma seleção das “melhores”:

“Nós não lemos metade dos artigos que citamos por que eles eram pagos.”

“Nós usamos as enzimas da NEB por que o representante foi legal e nos deu amostras grátis.”

“As amostras de sangue foram centrifugadas a 1500rpm por que a centrífuga fazia um barulho estranho em rotações maiores.”

“O sangue controle saudável foi tirado de um doador que foi informado do livre consentimento. Eu sei que ele foi informado, por que eu foi o doador.”

“A incubação durou três dias por que esse foi o tempo que o estagiário esqueceu o experimento na geladeira.”

“Esse corante foi escolhido por que era o único que estava ao alcance.”

“O reagente tornou-se indisponível em 2002 por que ninguém mais queria pedir e correr o risco de ser adicionado na lista de terroristas.”

“O tamanho da amostra foi menor do que o planejado por que estou no mestrado a 10 anos e meu orientador quis que eu me formasse logo.”

“A reação da PCR repetiu-se por 25 ciclos por que esse é o tempo que a aula demora.”

“Todos os reagentes foram comprados da Fisher por que ela é como se fosse o Walmart para a ciência.”

“Fizemos Northern Blot ao invés de real time PCR por que o orientador é velho e não confia em resultados ao menos que ele veja uma banda.”

Brunno Câmara Autor

Brunno Câmara - Biomédico, CRBM-GO 5596, habilitado em patologia clínica e hematologia. Docente do Ensino Superior. Especialista em Hematologia e Hemoterapia pelo programa de Residência Multiprofissional do Hospital das Clínicas - UFG (HC-UFG). Mestre em Biologia da Relação Parasito-Hospedeiro (área de concentração: virologia). Coordenador e docente do curso de pós-graduação em Hematologia e Hemoterapia da AGD Cursos. Criador e administrador do blog Biomedicina Padrão. Criador e integrante do podcast Biomedcast.

  • Compartilhar:

Artigos relacionados

0 comentários