Entrevista sobre Microbiologia de Alimentos com a Biomédica Louise Rodrigues

Por Brunno Câmara - quarta-feira, agosto 09, 2017


Precisando de conteúdo para complementar seus estudos?
Conheça os Kits de Estudo Biomedicina Padrão: biomedicinapadrao.com.br/kits


Louise Rodrigues Barreto é biomédica, formada em 2011 pela Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC (Ilhéus, Bahia), com habilitações em análises clínicas e análises bromatológicas, especialista em Citopatologia Oncótica pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública e mestre em Biologia e Biotecnologia de Micro-organismos pela UESC. Atualmente trabalha como coordenadora e docente do curso de Biomedicina da Faculdade Estácio Feira de Santana.

Por que você escolheu Biomedicina?

Louise Rodrigues: As áreas da biologia e saúde sempre chamaram a minha atenção e, quando iniciei o período de conclusão do ensino médio uma prima comentou sobre o curso de Biomedicina, que estaria envolvida nas duas áreas. Durante as pesquisas que realizei sobre a profissão, me encantei muito com as áreas de atuação e diversidades de descobertas que poderiam vir dentro destas possibilidades. Após visita a Universidade e conversa com alunos e profissionais, optei pelo curso sem ter definido a área de atuação que gostaria de seguir, mas com disposição de buscar oportunidades de vivenciar as áreas que mais me encantaram e chamaram atenção (genética, microbiologia, análises clínicas e pesquisa).

Como e quando foi o seu primeiro contato com a microbiologia de alimentos?

Louise Rodrigues: Meu primeiro contato com a microbiologia de alimentos foi ainda dentro da Universidade, quando participei voluntariamente de um projeto de pesquisa que trabalhava com o isolamento de bactérias provenientes da fermentação do cacau para utilização em probióticos. Depois acabei mudando a linha de pesquisa na iniciação científica, mas continuei a pesquisar e trabalhar com a microbiologia. Durante o período de estágio curricular obrigatório surgiu a oportunidade de concorrer a uma vaga para estágio no setor de garantia da qualidade de uma Indústria Multinacional localizada na região, a Dairy Partners Americas - NESTLÉ. Optei por participar da seleção, pois seria a oportunidade de ter experiência em uma área diferente da saúde, e dentro da indústria eu teria a possibilidade de atuar com a bromatologia e microbiologia de alimentos.

Quais são as atribuições do biomédico na microbiologia de alimentos?

Louise Rodrigues: Antes de falar sobre a atuação do Biomédico na área, vale salientar que os micro-organismos podem ser classificados em grupos distintos de acordo com a interação com o produto. Alguns organismos podem fazer parte do processo de produção trazendo alterações benéficas, e outros, considerados como contaminantes, trazem alterações inadequadas ou levam risco à saúde.

Utilizando como base a legislação específica para o alimento que será produzido, o profissional biomédico é responsável pela pesquisa e controle de micro-organismos desde a matéria-prima que chega à fábrica até o produto final. Além de garantir que os alimentos liberados para o consumo possuam qualidade e não ofereçam riscos a saúde com contaminação de micro-organismos patogênicos.

Qual a diferença da microbiologia clínica e microbiologia de alimentos?

Louise Rodrigues: Na microbiologia clinica o profissional tem como objetivo investigar os micro-organismos envolvidos em processos patológicos e mecanismos de resistência antimicrobiana, auxiliando no diagnóstico para um tratamento adequado e direcionado ao agente patogênico em questão.

A microbiologia de alimentos envolve a garantia da segurança alimentar relacionada a qualidade e vida útil do produto. O objetivo é trabalhar sempre de forma preventiva e com garantia da inocuidade do produto final.

Onde o biomédico microbiologista de alimentos pode atuar e como você avalia o mercado de trabalho para os biomédicos nessa área?

Louise Rodrigues: Podemos atuar na garantia da qualidade de indústrias alimentícias que desenvolvam o processamento de produtos tradicionais e de novos produtos alimentícios. Além de centros de pesquisas no desenvolvimento de produtos com alegações funcionais e de promoção à saúde, como os probióticos e prebióticos; e na identificação e seleção de micro-organismos que melhorem ou otimizem a produção de alimentos que dependam deles, a exemplo das leveduras utilizadas nas produções de pães, vinhos entre outros.

Considero o mercado de trabalho muito promissor, pois o produto alimentício precisa passar por controle de qualidade e microbiológico antes da liberação para o consumidor. Para quem mora ou possui interesse em mudar para cidades com centros industriais vale a pena pesquisar quais alimentos são produzidos no local para se preparar antes da entrevista. Um diferencial das empresas é que além da entrada por entrevista e seleção, existe a possibilidade de iniciar como estagiário e progredir para contratação, ou por programas de Trainee que possibilitam a entrada do recém-formado no mercado de trabalho para desenvolver experiências de aprendizado que irão proporcionar novas perspectivas para sua carreira.

Que dicas você dá para quem quer seguir nessa área?

Louise Rodrigues: Para atuar na área o mínimo que se espera do profissional é conhecimento e afinidade com a microbiologia. Além disso, é importante a dedicação em estudar as legislações específicas; o interesse em entender sobre o funcionamento industrial; e principalmente, possuir a capacidade de trabalhar em equipe, pois em determinadas situações a intervenção em conjunto com os demais colaboradores auxilia no resultado mais eficiente para o controle de contaminações.

Considerações finais.

Louise Rodrigues: A área da microbiologia é muito ampla e encantadora e ter experiência dentro de uma indústria me trouxe aprendizados únicos que permite aplicação em outras áreas de atuação.

Para quem busca um desafio diferente e gosta da biomedicina, mas não se identifica com as habilitações da área de saúde, a microbiologia de alimentos pode ser uma ótima oportunidade de aprendizado que permite atuação na indústria ou a área da pesquisa com o desenvolvimento e melhoramento dos produtos.

Agradeço imensamente à biomédica Louise Rodrigues pelo tempo e disposição em ajudar aqueles com interesse na área mas com dúvidas sobre a microbiologia de alimentos.

Brunno Câmara Autor

Brunno Câmara - Biomédico, CRBM-GO 5596, habilitado em patologia clínica e hematologia. Docente do Ensino Superior dos cursos de graduação em Biomedicina e Farmácia. Especialista em Hematologia e Hemoterapia pelo programa de Residência Multiprofissional do Hospital das Clínicas - UFG (HC-UFG). Mestrando no Programa de Pós-graduação em Biologia da Relação Parasito-Hospedeiro do Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública - UFG (IPTSP-UFG). Coordenador e docente do curso de pós-graduação em Hematologia e Hemoterapia da AGD Cursos. Criador e administrador do blog Biomedicina Padrão. Criador e integrante do podcast Biomedcast.

  • Compartilhar:

Artigos relacionados

1 comentários

  1. Queria saber qual a LEI, REPRESENTAÇÃO E RESOLUÇÃO da Microbiologia de Alimentos. Não estou encontrando em lugar algum.

    ResponderExcluir

Não temos interesse em publicar nada que nos ofenda ou ofenda outros visitantes. Só são aprovados textos que valorizem o que fazemos aqui e que podem ajudar outras pessoas, agregando valor ao conteúdo. O comentário precisa ser útil!