MITOFAGIA: remoção seletiva de mitocôndrias

Por Brunno Câmara - segunda-feira, abril 15, 2019




Mitocôndrias são organelas essenciais que regulam a homeostase da energia da célula e também a morte celular.
A remoção de mitocôndrias danificadas por meio de autofagia, um processo chamado mitofagia, é crucial para manter as funções da célula.

Esse processo requer dois passos: indução da autofagia geral e preparação da mitocôndria danificada para ser reconhecida pela autofagia seletiva.


Autofagia

A autofagia (ou macroautofagia) é um processo catabólico geneticamente programado, e evolucionalmente conservado, que degrada proteínas celulares e organelas danificadas ou em excesso por meio da formação de uma estrutura de dupla membrana conhecida como autofagossomo.

Esses fagossomos fundem-se então com os lisossomos para formar um autolisossomo, onde o conteúdo envelopado é degradado.

Autofagia seletiva e não seletiva

Embora inicialmente pensou-se que a autofagia fosse uma via de degradação em massa, não seletiva, atualmente é amplamente aceito que existem dois tipos de autofagia: a seletiva e a não seletiva.

Em resposta à fome extrema ou privação de nutrientes, a autofagia não seletiva é ativada para fornecer às células aminoácidos essenciais e nutrientes para sua sobrevivência.

De modo contrário, a autofagia seletiva ocorre para remover especificamente organelas danificadas ou em excesso e agregados de proteínas, mesmo em condições sem privação de nutrientes.

Até agora, vários processos de autofagia seletiva foram reportadas em organismos, de leveduras a mamíferos, incluindo:


  • Pexofagia* - remoção de peroxissomos;
  • Refagia* - remoção de retículo endoplasmático;
  • Ribofagia* - remoção de ribossomos;
  • Lipofagia* - remoção de lipídios;
  • Xenofagia* - remoção de patógenos invasores;
  • Mitofagia* - remoção de mitocôndrias.

Descobertas proteínas relacionadas à mitofagia

Esse mês (04/2019), pesquisadores publicaram artigo cientifico mostrando que duas proteínas, chamadas de NIPSNAP1 NIPSNAP2, acumulam-se na superfície da mitocôndria. 

Lá, elas recrutam proteínas envolvidas na autofagia seletiva, incluindo os receptores de autofagia e proteínas ATG8, funcionando assim como um sinal de "coma-me" para a mitofagia.


Referências

Ding WX, Yin XM. Mitophagy: mechanisms, pathophysiological roles, and analysis. Biol Chem. 2012;393(7):547–564. doi:10.1515/hsz-2012-0119

Abudu YP, et al. NIPSNAP1 and NIPSNAP2 Act as “Eat Me” Signals for Mitophagy. Developmental Cell, 2019. doi: 10.1016/j.devcel.2019.03.013


* Tradução livre do inglês para o português feita por mim.

Brunno Câmara Autor

Brunno Câmara - Biomédico, CRBM-GO 5596, habilitado em patologia clínica e hematologia. Docente do Ensino Superior. Especialista em Hematologia e Hemoterapia pelo programa de Residência Multiprofissional do Hospital das Clínicas - UFG (HC-UFG). Mestre em Biologia da Relação Parasito-Hospedeiro (área de concentração: virologia). Coordenador e docente do curso de pós-graduação em Hematologia e Hemoterapia da AGD Cursos. Criador e administrador do blog Biomedicina Padrão. Criador e integrante do podcast Biomedcast.
| @brunnocamara | LinkedIn | Lattes |


Artigos relacionados