Sobre a qualidade dos cursos de Biomedicina no Brasil

Por Brunno Câmara - terça-feira, agosto 25, 2020



📚🔬 Apostilas e Livro Digitais

Utilize nossas apostilas digitais como material complementar aos seus estudos - hematologia, anemias, leucemias, uroanálise, parasitologia e líquor.



Atualmente, duas situações contrastantes vêm ocorrendo na biomedicina (provavelmente em outros cursos também).

A primeira, muito boa, é o aumento do número de cursos de biomedicina abertos e disponíveis no Brasil. Isso aumenta a possibilidade de mais pessoas entrarem no ensino superior e faz com que a sociedade conheça cada vez mais o papel do biomédico.

A segunda situação, talvez consequência da primeira, é a diminuição do nível de qualidade desses cursos de graduação. Isso é péssimo para a profissão, pois profissionais sem a devida formação são formados todos os anos, mas deixam a desejar em diversos aspectos. Muitas vezes não por culpa própria, mas da instituição de ensino que não ofereceu uma formação mínima adequada.

Entenda, não estou tirando a responsabilidade do aluno de correr atrás dos seus objetivos não. Isso é essencial. Mas, existe um mínimo que deve ser garantido e oferecido pela instituição para que esse aluno entre no mercado de trabalho preparado.

Todos os dias chegam a mim muitos relatos de coisas absurdas que acontecem nessas instituições. Um exemplo é a instituição além da mensalidade cobrar do aluno o estágio supervisionado à parte. Como se o estágio obrigatório não fosse parte do currículo da graduação em biomedicina.

Nem preciso falar do EAD, certo? As instituições, principalmente as privadas, visando o lucro (claro, são empresas), fazem de tudo para reduzir custos. Isso reflete em estrutura de laboratórios inadequada, professores recebendo menos do que o aceitável, deficiência de aulas práticas e estágios para os alunos. Coisas básicas que deveriam ser garantidas aos alunos.

Isso acarreta vários problemas: o aluno vai se formar sem o conhecimento necessário, vai demorar ou não vai conseguir emprego e acaba se frustrando com a profissão. O que mais vemos por aí são pessoas falando mal da biomedicina. Alguns ainda nem se formaram, e já estão insatisfeitos.

Na minha visão, está faltando mais organização em relação aos cursos de graduação no Brasil. Vemos isso bem claro com todas as polêmicas no Ministério da Educação. Estamos praticamente sem parâmetro do que é aceitável ou não.

Então, se você é ainda é aluno, exija seus direitos. Não aceite tudo como a instituição oferece, se não for o melhor. Você tem o direito de exigir um curso de qualidade. Afinal, é a sua futura profissão, o seu ofício e seu conhecimento que estão em jogo.

Brunno Câmara Autor

Brunno Câmara - Biomédico, CRBM-GO 5596, habilitado em patologia clínica e hematologia. Docente do Ensino Superior. Especialista em Hematologia e Hemoterapia pelo programa de Residência Multiprofissional do Hospital das Clínicas - UFG (HC-UFG). Mestre em Biologia da Relação Parasito-Hospedeiro (área de concentração: virologia). Coordenador e docente do curso de pós-graduação em Hematologia e Hemoterapia da AGD Cursos. Criador e administrador do blog Biomedicina Padrão. Criador e integrante do podcast Biomedcast.
| Contato: @brunnocamara |