Entrevista com a Biomédica Residente Caroline Gomes

Por Brunno Câmara - sexta-feira, outubro 15, 2021


📚🔬 Cursos online e Apostilas Digitais

Complemente seus estudos fazendo nossos cursos online (videoaulas, apostilas e certificado):



Anualmente, o Instituto de Hematologia Arthur Siqueira Cavalcanti - HEMORIO (RJ), abre inscrições para sua residência multiprofissional em Hematologia e Hemoterapia, com duas vagas para biomédico.

Muitos têm curiosidade em saber como essa residência funciona. Por isso, convidei a biomédica residente Caroline Gomes para compartilhar com a gente um pouco da sua experiência nessa residência.

Confira a entrevista:

Conta pra gente um pouco sobre você e sua trajetória acadêmica.

Caroline Gomes: Tenho 25 anos e me formei em 2020 pelo Centro Universitário Celso Lisboa. Sou biomédica, habilitada em Análises Clínicas através do Hospital Municipal Barata Ribeiro (HMBR). Fui aluna de iniciação científica (IC) PIBITI/CNPq no Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) na FIOCRUZ na área de Microbiologia com ênfase em avaliação de saneantes com ação antimicrobiana. 

Ambas experiências foram durante 1 ano e foi através destas que decidi tentar a residência justamente para adquirir qualificação profissional específica na área de Análises Clínicas ou Microbiologia. No estágio obrigatório, tive experiência no Banco de Sangue e pude acompanhar o fornecimento de bolsas do HEMORIO que chegavam para os pacientes de lá. 

Soube da residência através de um funcionário do HMBR. No começo do ano, tentei residência para o laboratório no qual fiz IC, mas foi para o HEMORIO na área de Hematologia e Hemoterapia que garanti minha vaga.

Na seleção que você participou, teve prova? Se sim, como foi?

Caroline Gomes: a seleção em que participei (Residência 2021-2023) não houve prova. Porém, foi separada em duas etapas. A primeira etapa consistiu na avaliação do coeficiente de rendimento (CR), e a segunda etapa em análise de currículo e entrevista. 

A seleção anterior à minha, teve prova. O residente biomédico Luiz Paulo Teixeira dos Santos, que está no segundo ano da residência no HEMORIO, se dispôs a falar sobre a seleção em que participou: 

“A seleção em que participei (Residência 2020-2022) teve apenas uma etapa que consistiu em avaliação escrita do tipo múltipla escolha. 

A matéria da prova inclui legislação do SUS, português e temas específicos de hemoterapia e hematologia, com uma tendência levemente maior para hemoterapia.

Para estudos, aconselho treinar com provas anteriores do HEMORIO e da fundação saúde, assim como é aconselhável uma breve revisão das técnicas e instrumentação biomédicas. Acreditamos que as próximas seleções devam mesclar etapas de prova com análise de currículo e entrevistas.”

Como foi a etapa de análise de currículo da seleção que você participou?

Caroline Gomes: após a primeira etapa da seleção, que consistiu em entrega física do diploma e histórico escolar, fui convocada para segunda etapa com entrega online dos documentos comprobatórios referente ao que foi disposto no currículo para análise do mesmo, e entrevista, que valia dez pontos. 

Os aspectos considerados na entrevista foram: pontualidade, participação em eventos acadêmicos e experiência curricular na função. Fiz uma breve apresentação sobre minha trajetória acadêmica e experiências profissionais na área de Análises Clínicas. 

Também mencionei sobre a iniciação científica e como essa experiência em pesquisa científica me ajudou profissionalmente em boas práticas laboratoriais, elaboração de artigo científico e execução de ensaios e técnicas básicas de rotina laboratorial. 

Após a apresentação, os coordenadores geralmente realizam perguntas que podem diferir de pessoa para pessoa. 

Para mim, a pergunta foi com foco no porquê da escolha da residência no HEMORIO. Para uma colega de residência, a pergunta foi relacionada com sua trajetória acadêmica. 

Então, não houve pergunta e nem resposta certa. A minha resposta foi óbvia, pois quando você pensa em uma instituição no Rio de Janeiro onde um biomédico possa se especializar em hematologia e hemoterapia, uma instituição que fornece de forma única da prática à teórica sobre a área, e possui todas as ferramentas para diagnóstico e tratamento de pacientes com variedades de doenças hematológicas DE FORMA GRATUITA, em qual instituição você pensa? 

Prezo muito pelo SUS e pela saúde pública, sempre utilizei o SUS e com muito orgulho. Minha escolha não poderia ter sido diferente.

Quais são as atividades que o biomédico residente desenvolve no HEMORIO?

Caroline Gomes: o residente biomédico executará a rotina dos laboratórios de hematologia e hemoterapia. 

Os laboratórios de hematologia realizam exames voltados para análises clínicas do paciente, seja ele interno ou externo, ambulatorial ou internado. Já os laboratórios de hemoterapia são focados em análise de amostras do doador e também do paciente, já que são realizados estudos imuno-hematológicos e testes de compatibilidade para transfusões. 

Basicamente, analisamos e interpretamos exames laboratoriais e realizamos todas as etapas do processamento das bolsas de sangue coletadas: fracionamento, controle de qualidade, testes sorológicos e imuno-hematológicos, entre outros. 

O tempo em cada laboratório varia e pode ser dividido em meses ou semanas, e doze meses para cada especialidade (hematologia e hemoterapia).

Como é sua rotina como residente?

Caroline Gomes: realizamos dez horas diárias e 60 horas semanais dividas em trabalho, aulas e atividades. Até o momento não realizamos plantões. 

As aulas são divididas em dois eixos: específico e transversal

No eixo específico nós temos aulas com foco em hematologia e hemoterapia básica e aplicada ao laboratório. 

Já as aulas do eixo transversal, que abrange para todos os residentes multiprofissionais e médicos do HEMORIO, são focadas em temas gerais sobre saúde, tais como: metodologia científica, doenças hematológicas, gestão de qualidade, biossegurança, promoção à doação de sangue, ciclo do sangue, entre outros. 

Também realizamos apresentação e discussão de casos clínicos com os residentes de todas as áreas. Com o estudo de caso clínico, pude adquirir uma visão multiprofissional de áreas distintas com foco em um único paciente, o que torna interessante acompanhar o que ocorre na clínica além do laboratório. 

Pude correlacionar resultados de exames laboratoriais e diagnóstico com sinais e sintomas, além de acompanhar todo tipo de tratamento e evolução de cada caso. 

Vale lembrar que toda residência em saúde é divida em 80% prática e 20% teórica, então temos muito mais trabalho do que aulas.

Informação importante: O HEMORIO disponibiliza quartos femininos e masculinos para residentes que moram longe, com prioridade para quem mora a um raio maior que 50 km. Todos nós temos direitos à armários, independente de moradia ou não, e alimentação: café da manhã, almoço, lanche e janta.


Quais conselhos você dá para quem quer fazer a residência do HEMORIO?

Caroline Gomes: se a próxima seleção for análise curricular, avaliação do CR e entrevista, e você ainda estiver na graduação, procure manter seu CR alto, pois somente candidatos com CR maior ou igual a nove (=> 9) foram chamados para segunda fase no processo seletivo em que participei. 

Também é importante procurar estágios com foco em Análises Clínicas ou especificamente em Hematologia e Banco de Sangue, pois o intuito dessa seleção foi justamente focado para pessoas aptas e habilitadas na área. 

Além disso, muito dos selecionados possuíam IC no currículo. O intuito parece ter sido focado em selecionar pessoas que tivessem essa experiência, talvez para implementarem ou participarem de projetos e publicação de artigos na instituição, já que nós temos oportunidades para isso. 

Para candidatos já formados, a experiência profissional e pós-graduação em áreas relacionadas, de acordo com o edital, também valiam pontos. 

E meu conselho pessoal, plagiado de uma amiga da residência, é: Não desistam! Se essa não for a sua seleção, tente a próxima e a próxima e a próxima... 

Fazer residência é uma grande experiência que todos deviam ter após a faculdade. Se é a área em que você se identifica e a especialização que você deseja, não importa se for através de prova, análise curricular com entrevista ou ambas, sendo um pouco coach agora, mas se for pra ser a sua seleção, será! 

E, claro, isso depende exclusivamente de você! Estude sobre as áreas, tenho indicações de ótimos livros de hematologia (Hoffbrand; Failace; Zago, Falcão e Pasquini) e de imuno-hematologia (Girello e Kühn; Castilho, Pellegrino Júnior e Reid). Vimos com esse último processo seletivo que precisamos nos especializar e ser um diferencial além da formação acadêmica, então busque ser esse diferencial.


Agradeço imensamente à biomédica residente Caroline Gomes e ao biomédico Luiz Paulo pela disposição em compartilhar conosco sua experiência numa das residências para biomédicos mais desejadas.

Brunno Câmara Autor

Brunno Câmara - Biomédico, CRBM-GO 5596, habilitado em patologia clínica e hematologia. Docente do Ensino Superior. Especialista em Hematologia e Hemoterapia pelo programa de Residência Multiprofissional do Hospital das Clínicas - UFG (HC-UFG). Mestre em Biologia da Relação Parasito-Hospedeiro (área de concentração: virologia). Criador e administrador do blog Biomedicina Padrão. Criador e integrante do podcast Biomedcast.
| Contato: @biomedicinapadrao |