Precisando de conteúdo para complementar seus estudos?
Conheça os Kits de Estudo Biomedicina Padrão: biomedicinapadrao.com.br/kits

Pesquisadores desvendam por que a infecção por Bacillus anthracis é tão mortal

quarta-feira, agosto 28, 2013 0 Comentários


Precisando de conteúdo para complementar seus estudos?
Conheça os Kits de Estudo Biomedicina Padrão: biomedicinapadrao.com.br/kits


Esporos de Bacillus anthracis. Foto: Janice Haney Carr, via CDC.

O Bacillus anthracis é o agente etiológico do antraz ou carbúnculo (zoonose). É uma bactéria Gram positiva, aeróbica e formadora de esporos. É o único patógeno obrigatório do gênero Bacillus. Há três formas de adquirir a infecção: inalação dos esporos, ingestão de alimentos contaminados com esporos ou picada de insetos infectados.

Todos os três tipos de infecção podem ser mortais, mas a rota pela pele é mais branda (20% de mortalidade), segundo o CDC. A doença pela inalação dos esporos tem uma taxa de mortalidade de 75%, já a infecção gastrointestinal mata cerca de 60% dos infectados, mesmo com tratamento.

Devido a essa alta taxa de letalidade, é um microrganismo utilizado no bioterrorismo.

Não são as bactérias propriamente ditas responsáveis pela doença: são as toxinas que elas produzem. Pode-se tratar o paciente com antibióticos e matá-las (eles são muito efetivos contra a infecção), mas as toxinas produzidas continuam no corpo, destruindo as células.

Existem toxinas responsáveis pela morte celular (hemorragia, edema e necrose), mas achava-se que seus efeitos nas células endoteliais, como vasos linfáticos e sanguíneos, eram o que tornava a doença tão letal.

No estudo, foi encontrado que as toxinas parecem agir nas células do músculo cardíaco e fígado.

As toxinas ligam-se na proteína CMG2. Os pesquisadores aplicaram doses das toxinas em camundongos sem a CMG2 em suas células endoteliais e os animais morreram. Quando aplicaram em camundongos sem a CMG2, em suas células cardíacas e hepáticas, os animais conseguiram sobreviver.

Ainda não é claro se o mesmo acontece com o ser humano e futuros experimentos em primatas serão realizados.

Com informações de  

Brunno Câmara Biomédico

Biomédico, CRBM-GO 5596. Especialista em Hematologia e Hemoterapia pelo programa de Residência Multiprofissional do Hospital das Clínicas - UFG (HC-UFG). Criador e administrador do blog Biomedicina Padrão. Criador e integrante do podcast Biomedcast (biomedcast.com).