Álcool 70%: antisséptico e desinfetante

Por Brunno Câmara - quarta-feira, fevereiro 29, 2012



📚🔬 Apostilas e Livro Digitais

Utilize nossas apostilas digitais como material complementar aos seus estudos - hematologia, uroanálise, parasitologia e líquor.

Vai estudar para um processo seletivo de concurso público ou residência multiprofissional? - Conheça nosso livro de questões comentadas




O álcool possui propriedades microbicidas reconhecidamente eficazes para eliminar os micro-organismos mais frequentemente envolvidos em infecções.

É imprescindível na realização de ações simples de prevenção como a antissepsia das mãos, a desinfecção do ambiente e de artigos médico-hospitalares.

Além disto, possui baixo custo, é fácil aplicação e sua toxicidade é reduzida.

Álcool

Esse composto orgânico é caracterizado por possuir pelo menos uma hidroxila (radical OH) ligada ao átomo de carbono. 

Apresentações com variados pesos moleculares, que lhe conferem características próprias, são comercializados para diferentes aplicações como, por exemplo:

  • Desinfetantes e antissépticos: álcool etílico (etanol), álcool isopropílico (isopropanol); 
  • Solvente: álcool metílico (metanol);
  • Limpeza de peças eletrônicas: álcool isopropílico;
  • Combustível: álcool etílico, álcool metílico.

Desinfecção e antissepsia

O álcool etílico e o isopropílico possuem atividade contra bactérias na forma vegetativa, vírus envelopados (Ex.: Vírus Influenza, HBV, HCV, HIV), micobactérias e fungos.

Porém, não apresentam ação contra esporos e vírus não-envelopados (Ex.: HAV e rinovírus).

São caracterizados então como desinfetantes e antissépticos, porém sem propriedade esterilizante.

Em geral, o álcool isopropílico é considerado mais eficaz contra bactérias, enquanto o álcool etílico é mais potente contra vírus.

Sua atividade ocorre provavelmente pela desnaturação de proteínas e remoção de lipídios, inclusive dos envelopes de alguns vírus.

Álcool hidratado

Para apresentar sua atividade germicida máxima, o álcool deve ser hidratado (diluído em água), o que possibilita a desnaturação das proteínas.

A concentração recomendada para atingir maior rapidez microbicida é de:

  • Etanol: 70% em peso;
  • Isopropanol: entre 60 e 95% em peso.

O álcool comum, que geralmente é vendido a 96%, é capaz de fixar a bactéria na superfície que foi limpa, mas não a destrói.

Já o álcool a 70% (30 mL de água em 100 mL de álcool) é capaz de destruir bactérias.

Por quê?

A água que foi acrescentada facilita a entrada do álcool para o interior do micro-organismo, já que a membrana é permeável para a água.

Então, quando a água entra, o álcool vai junto, desnaturando as proteínas, além de atuar na membrana plasmática e parede celular, tanto inibindo sua síntese quanto provocando sua destruição.


Referências 

Brunno Câmara Autor

Brunno Câmara - Biomédico, CRBM-GO 5596, habilitado em patologia clínica e hematologia. Docente do Ensino Superior. Especialista em Hematologia e Hemoterapia pelo programa de Residência Multiprofissional do Hospital das Clínicas - UFG (HC-UFG). Mestre em Biologia da Relação Parasito-Hospedeiro (área de concentração: virologia). Coordenador e docente do curso de pós-graduação em Hematologia e Hemoterapia da AGD Cursos. Criador e administrador do blog Biomedicina Padrão. Criador e integrante do podcast Biomedcast.
| @biomedicinapadrao | LinkedIn | Lattes |