Contagem de Leucócitos Totais

Por Brunno Câmara - segunda-feira, agosto 10, 2020



📚🔬 Apostilas e Livro Digitais

Utilize nossas apostilas digitais como material complementar aos seus estudos - hematologia, anemias, leucemias, uroanálise, parasitologia e líquor.



A contagem de leucócitos totais é utilizada para a avaliação da quantidade de leucócitos no sangue periférico de um indivíduo e também para o cálculo da contagem diferencial dos leucócitos.

Ela faz parte do hemograma, mais especificamente do leucograma, composto também pela contagem diferencial de leucócitos e avaliação da distensão sanguínea (citomorfologia).

O valor normal geralmente varia entre 4.000 e 10.000 leucócitos por microlitro de sangue (/μL). Pacientes com valores acima ou abaixo do normal devem ser investigados na tentativa de encontrar a causa da alteração.

Metodologias

Existem duas maneiras de realizar a contagem dos leucócitos totais: de forma manual ou automatizada.

Contagem manual

Essa forma de contagem está praticamente extinta da rotina laboratorial, sendo ainda ensinada somente na graduação a título de conhecimento.

Como é feita

Uma amostra de sangue é diluída com líquido de Turk, composto por ácido acético (lisa as hemácias) e azul de metileno ou violeta de genciana (cora os leucócitos).

Geralmente, a diluição é de 1/20 (lê-se "um para vinte"), com volume final de 400 μL.

Após um período de incubação, a diluição é pipetada em câmara de Neubauer e a contagem é feita no microscópio (objetiva de 10x ou 40x).

São contados os todos leucócitos presentes nos quatro quadrantes laterais da câmara de Neubauer.


Obtém-se o resultado por meio da seguinte fórmula:

Leucócitos/μL = (leucócitos contados x fator da diluição x 10) ÷ 4

Contagem automatizada

É a forma utilizada hoje em dia nos laboratórios clínicos.

A contagem é realizada em contadores hematológicos, aparelhos que realizam praticamente todas as partes do hemograma, incluindo contagem de hemácias, leucócitos e plaquetas.

Existem contadores de pequeno porte e grande porte. Quanto mais moderno e completo o equipamento, mais parâmetros ele avalia.

Como é feita

Um tubo com a amostra de sangue do paciente, colhida com EDTA, é inserido em uma rack, se houver outras amostras para serem analisadas, ou passado individualmente no aparelho.


Uma agulha aspira determinada quantidade de amostra. O sangue então é distribuído em diversos canais (túbulos) em que as análises irão acontecer.

Para a contagem de leucócitos totais, uma fração de sangue é diluída com um reagente que lisa as hemácias, deixando somente os leucócitos.

As duas principais metodologias utilizadas na detecção e contagem dos leucócitos são a impedância elétrica e citometria de fluxo.

Para contagem e diferenciação, são analisados tamanho e complexidade (granularidade) das células.

Uma diferença importante entre a contagem manual e automatizada é que, na automatizada ao mesmo tempo em que os leucócitos estão sendo contados, o aparelho já diferencia os tipos de leucócitos, ou seja, faz a contagem total e diferencial simultaneamente.

Brunno Câmara Autor

Brunno Câmara - Biomédico, CRBM-GO 5596, habilitado em patologia clínica e hematologia. Docente do Ensino Superior. Especialista em Hematologia e Hemoterapia pelo programa de Residência Multiprofissional do Hospital das Clínicas - UFG (HC-UFG). Mestre em Biologia da Relação Parasito-Hospedeiro (área de concentração: virologia). Coordenador e docente do curso de pós-graduação em Hematologia e Hemoterapia da AGD Cursos. Criador e administrador do blog Biomedicina Padrão. Criador e integrante do podcast Biomedcast.
| Contato: @brunnocamara |