Virei sócio de dois grandes laboratórios do Brasil

Por Brunno Câmara - segunda-feira, fevereiro 03, 2020



📚🔬 Apostilas e Livro Digitais

Utilize nossas apostilas digitais como material complementar aos seus estudos - hematologia, uroanálise, parasitologia e líquor.



Quando a gente entra na faculdade, aprendemos tudo o que é necessário para ser um bom biomédico.

Mas, com exceção de algumas instituições, que oferecem disciplinas de empreendedorismo e administração laboratorial, basicamente aprendemos a ser empregados.
Se ser empregado num laboratório ou empresa é o você quer para sua vida, tudo bem.

Mas saiba, existem muitas outras possibilidades de você ser remunerado pelo seu trabalho e inteligência.

Já venho falando aqui, há algum tempo, sobre como o biomédico pode fazer renda extra, áreas promissoras como a inteligência artificial, e a importância de ter sua reserva de emergência.

Pois bem! Não falo isso da boca pra fora. Há dois anos mudei completamente minha relação com o dinheiro.

Hoje, eu e minha esposa, que também é biomédica, temos nossa reserva de emergência e uma boa quantia investida.

Nossos investimentos, até 2019, estavam todos em renda fixa (tesouro direto, LCI, CDB e NuConta).

Porém, com a baixa da taxa Selic, a rentabilidade da renda fixa não é mais tão vantajosa quanto estava sendo a alguns anos atrás.

Por isso, em 2020, começamos a investir na renda variável. Mais especificamente em fundos de ações mais agressivos, fundos imobiliários e ações.

Por entender do setor de saúde e diagnóstico, comprei ações de dois grandes grupos de laboratórios do Brasil.

São eles:

  • Grupo Fleury (FLRY3);
  • Grupo Hermes Pardini (PARD3).

São empresas em crescimento, com grande potencial de valorização no longo prazo, e com pagamento de dividendos aos acionistas.

O meu objetivo é manter essas ações na minha carteira por um longo tempo (buy and hold) e não ficar comprando e vendendo-as frequentemente.

Então, passei de um biomédico que mandaria um currículo para ser empregado em uma dessas empresas, para ser um dos sócios delas.

A população do Brasil está envelhecendo, e com mais idosos, mais consultas médicas, exames laboratoriais e de imagem serão realizados.

A minha visão é que a medicina diagnóstica tem muito potencial para crescer no Brasil

Foi estudando muito sobre investimentos que cheguei às minhas decisões. E meu plano é todo mês fazer aportes nessas e outras ações de empresas que acredito.

Com o conhecimento e planejamento você perde o medo de assumir alguns riscos em troca de colocar seu dinheiro para trabalhar para você.

*Lembrando que esse post não é uma recomendação para compra das ações. Você deve estudar por conta própria e decidir se deve ou não investir nelas.

Brunno Câmara Autor

Brunno Câmara - Biomédico, CRBM-GO 5596, habilitado em patologia clínica e hematologia. Docente do Ensino Superior. Especialista em Hematologia e Hemoterapia pelo programa de Residência Multiprofissional do Hospital das Clínicas - UFG (HC-UFG). Mestre em Biologia da Relação Parasito-Hospedeiro (área de concentração: virologia). Coordenador e docente do curso de pós-graduação em Hematologia e Hemoterapia da AGD Cursos. Criador e administrador do blog Biomedicina Padrão. Criador e integrante do podcast Biomedcast.
| @biomedicinapadrao | LinkedIn | Lattes |