Tudo o que um Biomédico precisa saber sobre a Bilirrubina

Por Brunno Câmara - segunda-feira, maio 17, 2021


📚🔬 Cursos online e Apostilas Digitais

Complemente seus estudos fazendo nossos cursos online (videoaulas, apostilas e certificado):


A bilirrubina é uma substância amarela, originada do catabolismo do grupo heme.

Ela é um importante biomarcador muito utilizado na avaliação de anemias hemolíticas e doenças hepáticas.

Neste post você vai conhecer melhor qual sua estrutura e como ela é formada.

Tetrapirrol

A bilirrubina é um tetrapirrol de cadeia aberta (linear).

Um tetrapirrol é composto por 4 pirróis, que são compostos orgânicos heterocíclicos (anel com 5 átomos).

Os tetrapirróis podem ser lineares como os produtos da quebra do heme (ex.: bilirrubina e biliverdina) ou cíclicos como encontrados em porfirinas, heme, cobalamina e clorofilas.

Por possuírem um alto grau de conjugação, os tetrapirróis são a porção da molécula que age como cromóforo (parte responsável pela cor). Por isso, a maioria das moléculas que possuem esse composto é colorida.

Sensibilidade à luz

A bilirrubina possui estrutura semelhante ao pigmento ficobilina encontrado em cianobactérias e algas vermelhas, responsável pela captura de energia da luz.

É também semelhante ao pigmento fitocromo, usado pelas plantas para detectar a luz.

Assim como esses pigmentos, as ligações duplas da molécula de bilirrubina isomerizam-se quando expostas à luz.

O isômero naturalmente encontrado no nosso organismo é a Z,Z-bilirrubina, que é uma forma não polar (menos solúvel).

Quando exposta à luz, esse isômero é transformado em Z,E-bilirrubina e E,Z-bilirrubina que são formas mais polares (mais solúveis).

Sendo assim, com o aumento da solubilidade da bilirrubina, ela pode ser excretada mais facilmente na bile.

Esse é o mecanismo pelo qual uma amostra deixada exposta à luz pode dar um resultado de bilirrubina sérica falsamente diminuído e também é a base da fototerapia em pacientes com hiperbilirrubinemia.

Metabolismo

O metabolismo da bilirrubina está diretamente relacionada com o do heme.

O heme é formado por um tetrapirrol cíclico, chamado protoporfirina IX, e um íon de ferro ferroso (Fe2+).

Aproximadamente 85% da bilirrubina total produzida é proveniente da hemoglobina, enquanto que os 15% restantes vêm dos precursores eritroides destruídos na medula óssea e de outras proteínas que possuem heme em sua estrutura.

Na primeira etapa, o heme é convertido em biliverdina (pigmento verde) pela enzima heme oxigenase. Isso ocorre no baço, durante o processo de hemocaterese.

Na segunda etapa, a biliverdina é convertida em bilirrubina pela enzima biliverdina redutase.

A bilirrubina recém-formada é então transportada pela albumina para o fígado. Nesse momento, temos a bilirrubina não conjugada (indireta) que é pouco solúvel em água.

Uma vez no fígado, ocorre a conjugação da bilirrubina com o ácido glicurônico pela enzima UDP-glucuronosiltransferase. Nesse momento, temos a bilirrubina conjugada (direta) que é mais solúvel em água.

A próxima etapa é a excreção da bilirrubina conjugada para o intestino através da bile. As bactérias intestinais a convertem em urobilinogênio (sem coloração).

Parte do urobilinogênio é absorvida pelas células intestinais e filtrada pelos rins. Ele é oxidado, dando origem à urobilina/urocromo, pigmento responsável pela coloração amarelada da urina.

A parte do urobilinogênio que continua no intestino é convertida em estercobilinogênio e, então, oxidado em estercobilina, pigmento responsável pela coloração marrom das fezes.

Aspectos laboratoriais

Como já mencionado, a bilirrubina é sensível à luz. Então, ao coletar amostras de sangue deve-se proteger o tubo da luz. Utilize tubo âmbar ou cubra-o com papel alumínio.

No laboratório, são dosadas as bilirrubinas direta e total.

A bilirrubina indireta é calculada pela seguinte fórmula: 

Bilirrubina Indireta (BI) = Bilirrubina Total (BT) - Bilirrubina Direta (BD)

Valores de referência para (Hermes Pardini/Colorimétrico):

  • BD: ≤ 0,4 mg/dL
  • BI: ≤ 0,8 mg/dL
  • BT: 0,3 - 1,2 mg/dL
A icterícia torna-se clinicamente manifesta quando a bilirrubina total é maior que 2,5 mg/dL.

Quando em excesso, a bilirrubina direta pode também estar presente na urina. Já a bilirrubina indireta não aparece na urina, pois é pouco solúvel em água.

Hiperbilirrubinemia

Um número de doenças hereditárias e adquiridas afetam uma ou mais etapas envolvidas na produção, armazenamento, metabolismo e excreção da bilirrubina.


Referências

Poulos TL. Heme enzyme structure and function. Chem Rev. 2014;114(7):3919-3962. doi:10.1021/cr400415k

Ebbesen, F., Madsen, P., Vandborg, P. et al. Bilirubin isomer distribution in jaundiced neonates during phototherapy with LED light centered at 497 nm (turquoise) vs. 459 nm (blue). Pediatr Res 80, 511–515 (2016). https://doi.org/10.1038/pr.2016.115

Burtis Burtis, Ted Burns. Tietz Fundamentals of Clinical Chemistry. Elsevier.

Mayo Clinic Laboratories.

Laboratório Hermes Pardini.

Brunno Câmara Autor

Brunno Câmara - Biomédico, CRBM-GO 5596, habilitado em patologia clínica e hematologia. Docente do Ensino Superior. Especialista em Hematologia e Hemoterapia pelo programa de Residência Multiprofissional do Hospital das Clínicas - UFG (HC-UFG). Mestre em Biologia da Relação Parasito-Hospedeiro (área de concentração: virologia). Criador e administrador do blog Biomedicina Padrão. Criador e integrante do podcast Biomedcast.
| Contato: @biomedicinapadrao |